Canal
Geral

Curitiba, região e litoral como turismo religioso

Por: 0 29 de Maio de 2013

Quem pratica o turismo religioso pode começar a colocar a capital paranaense em seu roteiro. Para conhecer esse lado da região, nenhuma data é mais apropriada que o Corpus Christi, comemorado no dia 30/05. Independente da religião, na Rota do Pinhão, região que compreende a Capital, municípios no entorno e litoral paranaense, os visitantes terão experiência de fé e se surpreenderão com a junção da história, aliada ao contato com a natureza e diferentes culturas. Em Curitiba, andando a pé ou de bicicleta pelo centro da cidade, é possível visitar a Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, recentemente restaurada, que merece a atenção por ser uma bela e centenária edificação, rodeada de história e religiosidade.

No dia 30/05, os mais de três mil voluntários começam o trabalho artesanal de confecção dos tradicionais tapetes de Corpus Christi, logo no início da manhã. São 85 tapetes confeccionados com flores, serragem, pó de café e materiais reciclados, que vão da Praça Tiradentes até o Palácio Iguaçu. A Santa Missa está marcada para as 15h, na Catedral Basílica, onde são esperadas 150 mil pessoas.

 

Continuando o passeio pelo centro histórico, onde se encontram as Igrejas de Nossa Senhora do Rosário e da Ordem, pode-se notar a arquitetura barroca, que registra a chegada dos portugueses. Adjunto à Igreja da Ordem, está o Museu de Arte Sacra, com mais de 800 peças em seu acervo, que vale a pena conhecer.

Ainda no Largo da Ordem, a Igreja Presbiteriana Independente, a Igreja Luterana a Mesquita Iman Ali, merecem uma visita. A dica para quem visitar os locais no domingo é a agitada feirinha, que possui aproximadamente 1.300 expositores com os mais diversos produtos. No roteiro, não pode faltar o Bosque do Papa João Paulo II, que possui fácil acesso de bicicleta, por exemplo. Lá é possível visitar a Casa dos Troncos, uma construção de imigrantes poloneses de 1883, relocada no Bosque e transformada na Capela de Nossa Senhora de Czestochowa, em homenagem à padroeira da Polônia. [caption id="attachment_295081" align="aligncenter" width="562"] Bosque do Papa.[/caption]

A essa parada pode ser somada uma visita no Museu Oscar Niemeyer, com acesso pelas trilhas do Bosque. Próximo dali está o Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no qual todas as quartas-feiras, as tradicionais novenas reúnem milhares de fiéis. Na região do Campo Comprido, imperdível é o Santuário Schoenstatt. Ele proporciona a contemplação de refúgio em meio à cidade, ao tempo que seu som ambiente conduz para uma reflexão espiritual. [caption id="attachment_295082" align="aligncenter" width="532"] Santuário Schoenstatt.[/caption] Na Lapa, destacam-se a Igreja Santo Antônio e a Gruta do Monge. Em Balsa Nova, a Capela de Nossa Senhora da Conceição e Tamanduá. Em Rio Negro, o Seminário Seráfico São Luis de Tolosa. Em Campo do Tenente, o Mosteiro Trapista que recebe visitas agendadas. Em Pinhais, o Roteiro Turístico Estrada Ecológica passa por diversas chácaras, parque aquático e ainda a Capela Nossa Senhora da Luz e a Igreja Nossa Senhora do Carmo. No litoral, a religiosidade está presente em todos os cantos. Em Paranaguá, em meio à Praça da Fé, está o Santuário de Nossa Senhora do Rocio, padroeira do Paraná, que move milhares de turistas a visitarem a cidade o ano todo; a Igreja de São Benedito, que foi a primeira a ser construída no Sul do Brasil, por escravos; e a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas, considerada de elite, no século XVIII. [caption id="attachment_295083" align="aligncenter" width="533"] Igreja Nossa Senhora do Rocio.[/caption]

A Ilha do Mel também tem sua história, o Cruzeiro de São Francisco, pequeno oratório construído ao pé do Cruzeiro, guarda em seu interior várias imagens em devoção a São Francisco de Assis, o Santo protetor dos animais.

Belas construções como as Igrejas de Nossa Senhora do Pilar em Antonina e de Nossa Senhora do Bom Sucesso em Guaratuba não passam despercebidas. Na Igreja de Nosso Senhor Bom Jesus dos Perdões, primeira construção de Guaraqueçaba, um altar em forma de embarcação numa base de peixe, homenageia e protege os pescadores.

“Nossa região tem uma forte cultura religiosa e precisamos fomentar esse turismo que movimenta pessoas em busca da fé. Além disso, Curitiba, região e litoral tem estrutura e atrativos de sobra para agradar a esse público específico”, afirma Tatiana Turra, diretora executiva do CCVB – Curitiba, Região e Litoral Convention & Visitors Bureau.

Ainda para quem procura roteiros específicos, o CCVB coloca a disposição o Núcleo de Turismo Receptivo, mantenedor da entidade. Para saber os serviços disponibilizados por ele, clique aqui.

 

Tags: