Canal
Geral

Curitiba investe em turismo fora de temporada

Por: 0 20 de Setembro de 2012

Desde 2005, o número de visitantes em Curitiba aumentou 62%. Apenas no dois últimos anos o crescimento foi de 16% - de acordo com os dados do Instituto Municipal de Turismo. “Crescemos acima da média nacional”, garante a presidente do instituto, Juliana Vosnika. “A cidade se beneficia porque os turistas não estão mais apenas buscando só praia e mar, estão mudando para um turismo cultural, religioso, de estilo de vida”, explica. [caption id="attachment_226973" align="aligncenter" width="560" caption="Nos meses de férias, fica lacuna com a falta dos turistas de negócios ( Foto: Rodrigo Félix Leal / Metro Curitiba)."][/caption] Ainda assim, metade dos turistas da Capital vem para só para fazer negócios – eles ficam só no meio da semana e nos meses de trabalho. “Fica uma lacuna em janeiro, fevereiro e julho”, diz Vosnika. “O grande desafio que temos para tornar o turismo economicamente viável na cidade é evitar essa sazonalidade”, afirma. Outro problema local é o aeroporto Afonso Pena, que não recebe voos internacionais. “O padrão de entrada dos turistas estrangeiros é descer em São Paulo ou Rio de Janeiro e depois ir direto para Foz do Iguaçu sem passar por Curitiba”, diz Roberto Bacovis - vice-presidente Abav-PR (Associação Brasileira de Agências de Viagens). “É um gargalo a ser resolvido”, define. A terceira pista do aeroporto está prevista apenas para 2016 - depois da Copa de Mundo. “Quando ela estiver pronta vai ser mais fácil vender Curitiba no exterior”, diz Vosnika. De acordo com a Embratur, em 2010 Curitiba foi a terceira cidade que mais recebeu turistas para eventos e negócios no Brasil, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro, e ultrapassando polos como Porto Alegre e Belo Horizonte . De acordo com um estudo de competitividade feito em 2010 pelo Ministério de Turismo, a capital já está no mesmo nível que São Paulo - com “estágio avançado de desenvolvimento para o segmento de eventos, apresentando serviços e equipamentos de destaque”. “Temos prestadores de serviços e rede hoteleira de qualidade. Agora vemos a necessidade de criar um novo centro de convenções”, diz Juliana Vosnika. Nos planos do instituto municipal está estimular novos eventos – como por exemplo as recentes Galeria de Luz, no Natal e o Curta Curitiba. “Tivemos 700 mil pessoas durante o Natal. Também temos o festival de teatro e a virada cultural como grandes geradores”, diz Vosnika. Fonte:Thiago Machado/Metro Curitiba.

Tags: