Canal
Geral

Consumidor prejudicado pelo "caladão" deve ser indenizado

Por: 0 30 de Abril de 2012

Os usuários de internet e telefone que foram prejudicados com o apagão da última terça-feira (24/04) poderão ser indenizados pelas operadoras, informou o Procon-PR. De acordo com o órgão, o consumidor que teve danos patrimoniais precisa procurar seus direitos o mais rápido possível. Quem tiver o valor exato do prejuízo poderá ir diretamente ao Procon-PR, de posse dos documentos que comprovam o dano. A coordenadora do Procon-PR, Cláudia Silvano, explica que é o caso de pessoas que pagaram multas ou juros por atraso no pagamento de contas, porque o estabelecimento estava sem internet.

Clientes de telefone pós-pago também devem procurar o órgão de defesa do consumidor. O valor referente ao período em que o telefone ficou indisponível será descontado da fatura. As pessoas que tiveram prejuízos, mas não têm comprovação em mãos, precisam procurar a Justiça. Empresas de telemarketing ou que recebem publicidade de acordo com cliques nos sites, por exemplo, entram nessa categoria. “O juiz irá avaliar os danos e determinar quanto deve ser ressarcido”, disse Cláudia. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) confirmou que as operadoras vão ressarcir os clientes, mas ainda não informou de que forma isso será feito, nem o prazo. Pane Obras na BR-116 (no trecho entre Curitiba e São Paulo) causaram o rompimento dos cabos de internet e telefonia no dia 24/04, que deixou milhares de consumidores da Região Sul sem acesso a esses serviços. A informação foi repassada pela Autopista Regis Bittencourt, que administra o trecho onde ocorreu o acidente, na manhã da quinta-feira (26). De acordo com a concessionária, o problema ocorreu no quilômetro 66 da rodovia, em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba. Uma das máquinas provocou o rompimento dos cabos da empresa Global Crossing, de acordo com a assessoria de imprensa da concessionária. Consumidores de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul tiveram problemas com os serviços entre 13h e 16h30 da quarta-feira (26), de acordo com a Anatel. Um dia após o “caladão”, as operadoras de telefonia ainda não sabiam informar quantos clientes foram afetados.

TIM e Vivo informaram, por meio de suas assessorias de imprensa, que ainda não tinham o dado, porém, a informação deve ser divulgada em breve. As assessorias de imprensa da GVT e da Claro disseram que não vão divulgar os números, pois não se tratou de um problema específico dessas empresas. A operadora OI afirmou que os clientes da Região Sul não foram afetados. A Copel informou que os clientes do seu serviço de internet rápida foram afetados – cerca de 1,5 mil clientes corporativos usam a empresa como provedora.

Tags: