Canal
Geral

<!--:pt-->Começa hoje a Olimpíada Solidária de Estudo<!--:-->

Por: 0 5 de Novembro de 2009

A partir de hoje (05/11), e durante um mês, voluntários de nove cidades brasileiras poderão usar bibliotecas e salas de estudo credenciadas para colaborar com a VII Olimpíada Solidária de Estudo, um evento mundial que ocorre simultaneamente em 15 países da Europa, África e Américas. olimpiada-do-estudo  A dinâmica é igual em todo mundo, ou seja, para cada hora de estudo que os voluntários fizerem nas salas, os patrocinadores do projeto doam uma unidade monetária local (real, dólar ou euro) para um projeto social predeterminado. No Brasil, o beneficiado é o Projeto Jurujuba, que atende 100 crianças em situação de risco na colônia de pescadores homônima, em Niterói.  Além de diversos centros culturais, instituições amplamente reconhecidas como Unicamp, USP (Universidade de São Paulo), UFF (Universidade Federal Fluminense), IBMEC do Rio de Janeiro, IESB (Instituto de Educação Superior de Brasília), Biblioteca Pública Monteiro Lobato e a Biblioteca da Academia Brasileira de Letras participam do projeto. "O Brasil está pelo segundo ano consecutivo na Olimpíada e esse ano esperamos envolver cerca de três mil alunos, gerando dez mil horas de estudo", explica Andréa Gomides, diretora da Ekloos, ONG responsável pela "importação" e implantação da iniciativa aqui. O resultado, segundo ela, é bastante animador visto que significa duplicar o volume do ano anterior. "É um estímulo ao estudo e principalmente à solidariedade. Em todos os países nos quais a Olimpíada acontece, a adesão da comunidade se dá em progressões geométricas. Por exemplo, de 2007 para 2008 o número de salas participantes ao redor do mundo teve um pequeno acréscimo de 240 para 253. Por outro lado, o número de participantes saltou de 14,4 mil para 23,6 mil", explica Andréa. "Este ano a Olimpíada alcançará 1 milhão de horas de estudo acumuladas."  Esse é um fator importante, visto que, mais até do que o volume financeiro, a Olimpíada visa despertar no jovem o interesse pelo voluntariado, oferecendo um projeto que eles podem ajudar com seu próprio recurso intelectual: o estudo. Com a Olimpíada Solidária os jovens percebem que podem agir para mudar situações de desigualdade e pobreza, permitindo que outras pessoas tenham também acesso à educação. No Brasil a iniciativa conta com o patrocínio das empresas Punto, Redutor Tempo e Sisgen, e é apoiada pelo PNLL (Plano Nacional do Livro e Leitura) e Sing Comunicação de Resultados. A organização é das ONGs Ekloos, da Coopera, Cooperation Internacional e ACTEC. Mais informações: http://www.olimpiadasolidaria.com/  Os resultados da Olimpíada podem ser acompanhados pelo twitter: www.twitter.com/institutoekloos.

Tags: