Canal
Geral

Belém investe em cultura com eventos gratuitos

Por: 0 18 de Julho de 2011

Exposições, shows, filmes em circuitos alternativos e passeios estão entre as opções de lazer para quem está em Belém (PA) durante o mês de julho. Se a intenção é aproveitar a orla da capital e, ao mesmo tempo, curtir um bom som, o destaque é o "Festival Cultura de Verão". Desde o início do mês, uma série de shows tem animado o Píer das Onze Janelas, nas noites de terça e quarta-feira. Amanhã (19/07), tem Projeto Secreto Macacos, Elder Efe e Cristal Reggae. Na quarta (20/07), a noite será dedicada ao carimbó, com Mestre Juvenal e Grupo Fogo Fago e os grupos Carimbó Mundé e Som de Pau Oco.

[caption id="attachment_129718" align="aligncenter" width="529" caption="A Estação das Docas será palco de diversos shows musicais."][/caption]

Os shows, promovidos pelo Governo do Estado, por meio da Rede Cultura de Comunicação, são gratuitos e começam às 19h. Todas as sextas-feiras de julho, a Estação das Docas apresenta o projeto "Pôr do Som", sempre às 18h, com a participação de grupos folclóricos na orla do Armazém 3. Cinema A sétima arte tem lugar cativo na programação desse mês. Ainda na Estação das Docas, o público poderá assistir ao documentário “Rio Sonata”, uma homenagem do francês Georges Gachot à cantora Nana Caymmi, uma das mais importantes na música brasileira. O filme segue até dia 24/07, às quintas, sextas e sábados. As sessões ocorrem às 18h e 20h30. No dia 25/07, o público terá a oportunidade de conferir os cinco documentários de curta-metragem premiados na edição 2003 do programa Rumos Itaú Cultural Cinema e Vídeo, batizada de “Brasil 3x4”. Após a exibição haverá um bate-papo com a cineasta paraense Jorane Castro, diretora do curta “Invisíveis prazeres cotidianos”. Museus Além das exposições permanentes, Belém recebe nesse mês de julho uma mostra do trabalho do fotógrafo francês Marc Ribou, na galeria Antônio Parreiras, do Museu Histórico do Estado do Pará. Com mais de 50 anos de carreira, Marc Ribou registrou intensamente a vida nos mais diversos cantos do mundo. A mostra reúne 60 cliques do francês que influenciou uma geração inteira de fotógrafos. Quem permanecer na capital pode visitar o Museu do Forte do Presépio (terça a domingo, de 10h às 16h), com relíquias indígenas, e o Museu de Arte Sacra (terça a domingo, de 10h às 16h), que conta a história religiosa de Belém desde a época da colonização europeia. Outra opção é o Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (segunda a sábado, de 10h às 20h, e domingo de 15h às 20h), onde o visitante pode conhecer o design e os materiais utilizados nas criações contemporâneas dos designers paraenses. Mais informações sobre os museus do Pará no site da Secretaria de Estado de Cultura (Secult).

Tags: