Canal
Geral

Be a child

Por: Redação. 12 de Outubro de 2020

Seja uma criança!

Vamos pensar quando a gente ainda era uma criança?

Pense que quando éramos crianças, tudo parecia e era possível.

Você colocava um cobertor sobre suas costas, e se transformava no Super Homem.

Você pegava a vassoura de sua mãe e ao andar nela, você se tornava uma bruxa.

Você subia em árvores nem imaginando do risco em cair.

Você simplesmente fazia.

Você acabava de ter uma ideia e a fazia acontecer, simplesmente porque você acreditava.

Você era então uma criança criativa, mas acreditava muito e tinha uma forte crença!

Conforme ficamos adultos, as coisas ficaram um pouco diferentes.

Quando você não ia bem em uma prova, pensava “Nunca vou conseguir”

Quando você tinha uma proposta de trabalho irrecusável, você pensava que “talvez NÃO fosse a hora certa”.

Quando você desejava iniciar um Negócio, você pensava que "Talvez NÃO fosse tão fácil assim".

Quando você já tinha seu Negócio, ouvia alguém dizer para NÃO correr riscos.

Então, quando você teve uma Incrível ideia brilhante que poderia criar mais empregos para as nações mais pobres, proporcionar uma Vida melhor para mais pessoas, deixar sua comunidade Orgulhosa, ajudar o Crescimento de seu pais e ainda criar um Mundo melhor. Você disse: “Não tenha certeza...”

Você continuava sendo Criativo, mas convivia hoje com muitas Dúvidas.

Então, Anos depois, você soube que alguém tinha tido a mesma ideia que a sua e ela hoje estava implementada.

O que torna aquela pessoa Diferente de você?

Sua Ação. Ele tangibiliza. Ela transforma sua Ideia em realidade.

Ela se transformou no “Jovem empreendedor criativo mais promissor do ano”, sua ação lhe rendeu reconhecimento e muito sucesso.

Então você começou a pensar: “Como Eu queria ter posto em prática aquela Ideia anos atrás...”

Vamos pensar de novo quando a gente ainda era criança?

Se essa ideia tivesse surgido quando você ainda era um criança, você teria tomado a mesma atitude? Ou você teria acreditado nela? Seria diferente?

Naquela época, você tinha um forte Crença e Acreditava fortemente...

Sabe, nunca é tarde demais... você só precisa ter uma Ideia e fazê-la acontecer

Você ainda Pode... Só precisa Acreditar.

Pois a criatividade começa com uma Crença.

(Inclusive acreditar completamente em você mesmo).

Este texto, em uma adaptação livre do inglês, veio da animação “An Inspirational Clip – BE A Child” (Um vídeo inspirador – Seja uma criança), criado por Florence Ki da Junior Chamber International Petaling Jaya, com animação da ADCOM – The real experience. 

Faz muito tempo que eu o conheço e hoje eu fui revisitá-lo, pois entendi que além de celebrar as crianças do mundo tudo, era importante a gente também pensar em outra criança…

E no Dia das Crianças queria fazer um convite, ao qual eu completamente me incluo, para revisitarmos a Criança que fomos e que certamente ainda existe dentro de nós. E é muito importante que a gente a reconheça, antes de mais nada falando mentalmente que a gente a vê, a sente e a reconhece. Pois você sabe que em muitos momentos ela se manifesta e isso é facilmente reconhecível.

É essa criança que muitas vezes se apresenta a partir da dor do crescimento, da ilusão e dos sonhos. Aquela que se revolta contra tudo aquilo que não é como queria e irritada, bicuda e mimada reclama atenção, proteção ou a relativação dos seus atos.

É também aquela que mesmo errada, delega e transfere a culpa. Que tem medo, anseia a aceitação de tudo e de todos, mas valoriza demais o atendimento aos seus caprichos, melindrando-se quando lhe falta aquilo que determinou como imprescindível. 

Frustra-se rapidamente, desiste num instante e ainda que muitos falem desta tal de resiliência, diz que não perde tempo e recomeça tudo de novo.

Falamos desta criança que existe dentro de nós e que se expõe claramente nas tristezas sem razão, no choro a muito custo segurado, na mágoa que sem controle te domina e na sensação de vazio que tem mesmo estando no meio de tanta gente. 

Ela também é vista na desilusão do que acontece, na procrastinação sempre presente e numa falta de vontade extrema em tocar as coisas da vida. Ela pode estar na tendência a sempre ver a falta de perspectivas, que apesar de estranhas para o corpo adulto, se mostram completamente normais ao olhar e sentimentos mais infantis.

Encontre essa criança sem julgamentos. Vocês sabe que ela está ai. E como um irmão mais velho, seja carinhoso ,mas a oriente para que tire dela todas as imagens, mensagens e pensamentos distorcidos sobre as pessoas e coisas que existem nela até hoje. 

Também ajude-a a apagar com a maior borracha que encontrar, todas as frases distorcidas, destrutivas e criadoras de crenças limitantes que ela ouviu desde criança, inclusive na vida adulta.

E ensine com leveza, didatismo e firmeza, que ela deve deixar de lado os sentimentos de tristeza, baixa autoestima, menos valia, não merecimento, medo, culpa, raiva, pânico, terror, não aprovação, não se sentir amada, inadequação, constrangimento, medo de abuso físico e emocional, de não se sentir bem-vinda, de abandono, de rejeição, de solidão ou qualquer tipo de sentimento de ódio que essa criança interior tem, traz e manifesta, desde seus primeiros dias até os dias de hoje.

E que essa criança agora cheirosa e limpa, de banho tomado, cabelo penteado, roupa arrumada e livre de qualquer sujeira, impregnação e peso que não deveria ter carregado por tanto tempo, possa se olhar no espelho e aceitar o seu lado bom de ser criança: pulando, sorrindo, se divertindo, brincando e aceitando que ela pode ser tudo, perguntar tudo, pode errar, pode acertar, pode tentar, mas que definitivamente ela é alguém que tem valores, mesmo aqueles que a vida adulta insistiu em apagar, mas que acredita em si mesmo e não mede esforços em ser uma sonhadora de boas coisas e como uma criativa nata, não se importar de desenhar um mundo colorido, pouco importando se com traços tortos ou não, simplesmente porque acredita que assim é e vai sempre ser.

Seja uma criança! 

Principalmente aquela que desprovida do peso que você acabou de tirar, pode se sentir feliz como há muito tempo não se sentia.

Olhando para um mundo com mais cor, enxergando as oportunidades com mais tranquilidade, se sentindo forte e destemida e acreditando que quando é necessário, ela só imagina uma capa de super herói e se transforma nele. Que quando precisa voar, ela se imagina com asas ou em uma vassoura mágica e ganha o céu. Que quando não sabe, ela pergunta, sem se preocupar se alguém já sabia. E quando incentivada a ter uma ideia, ela põe pra fora o seu repertório, simplesmente porque isso está dentro dela e ela acredita na sua verdade.

Feliz Dia das Crianças.

Feliz Dia da Criança que existe dentro de você.

 

Tags: artigo | Dil Mota