Canal
Geral

Atletas brasileiros terão salários de R$ 15 mil para a Rio 16

Por: 0 17 de Setembro de 2012

A presidente Dilma Rousseff lançou oficialmente na última quinta-feira (13/09) o "Plano Brasil Medalhas 2016", com investimento de R$ 1 bilhão para pagamento de bolsas a atletas que disputarão os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro em 2016. O teto das bolsas para os atletas será de R$ 15 mil para atletas medalhistas, de R$ 10 mil para técnicos e R$ 5 mil para profissionais multidisciplinares, como fisioterapeutas, médicos e psicólogos. [caption id="attachment_225732" align="aligncenter" width="532" caption="Presidente Dilma Rousseff coloca medalhas no nadador paralímpico André Dias: objetivo do governo federal é de que o País fique entre os dez primeiros na Olimpíada e entre os cinco na Palímpiada."][/caption] O projeto também prevê uma bolsa de até R$ 20 mil para os atletas comprarem equipamentos e material esportivo. No lançamento do plano, a presidente também recebeu a delegação paralímpica brasileira. O objetivo do plano é fazer com que a delegação brasileira fique entre as dez primeiras colocadas no quadro de medalhas na Olimpíada e entre as cinco na Paralímpiada disputadas no País. Em Londres-2012, o Brasil terminou na 22ª colocação, com um total de 17 medalhas: três de Ouro, cinco de Prata e nove de Bronze. Já a delegação parlímpica brasileira ficou na quinta colocação na competição, também na capital britânica. Os recursos virão de duas fontes. Dois terços sairão do Orçamento Geral da União (OGU) e um terço de investimentos das empresas estatais, como Petrobras, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Eletrobras. Os recursos do Plano Brasil Medalhas se somará a mais R$ 1,5 bilhão de investimentos previstos, como repasses de loterias e de leis como a Agnelo/Piva e a do Incentivo ao Esporte, o que totalizará R$ 2,5 bilhões até 2016. Mesmo com os recursos vindos essencialmente de verbas estatais, a presidente cobrou apoio também das empresas privadas no auxílio aos atletas brasileiros. “Seria de suma importância que esse esforço fosse acompanhado também pela inciativa privada”, discursou Dilma no lançamento.

Além dos recursos a atletas, técnicos e profissionais, o plano também prevê a capacitação de 22 centros de treinamentos no país. O ministro dos Esportes, Aldo Rabelo, afirma que os investimentos serão concentrados em áreas de maiores chances de conquista de medalhas. No total, foram escolhidas 21 modalidades olímpicas, entre elas atletismo, basquete, boxe, ciclismo, natação e judô, e 15 paralímpicas, entre elas atletismo, bocha, canoagem, ciclismo, natação e remo. “Um dos objetivos é chegar a conquistas em esportes que ainda não vencemos”, disse o ministro.

Tags: