Canal
Geral

Artesãos cobram mais pontos de venda no Distrito Federal

Por: 0 3 de Setembro de 2012

Em audiência pública que discutiu políticas públicas para os artesãos do Distrito Federal, realizada na tarde do dia 31/08, no plenário da Câmara Legislativa, os participantes cobraram a abertura de mais pontos de venda e melhores opções de crédito.

Segundo dados apresentados pela Secretaria de Trabalho, existem 15 mil artesãos no DF, sendo 6102,registrados na Secretaria de Trabalho. Desse total, 60% não contam com um local para a comercialização de seus produtos.

Quem presidiu a audiência foi a deputada Arlete Sampaio (PT), em substituição a Chico Vigilante (PT), que propôs a realização do encontro, mas que teve que se ausentar do DF para uma reunião da Confederação Nacional dos Vigilantes. Em seu pronunciamento, Arlete apontou a ausência história do Estado no fomento à comercialização e à capacitação dos artesãos. "É preciso um conjunto de iniciativas, articulando diversas secretarias para suprir essa deficiência", afirmou a distrital. O secretário de Trabalho, Washington Sales, observou que a principal dificuldade dos artesãos é a falta de espaços e oportunidades de venda. "Temos uma produção artística e cultural fantástica. Na secretaria, organizamos a realização de feiras e levamos artesãos para eventos nacionais para que eles apresentem à sociedade o produto de sua criatividade", explicou. Representando os artesãos na composição da mesa da audiência pública, Adeilton Oliveira disse que o desafio da categoria é integrar os profissionais para a formação de um plano de apoio ao segmento artesanal do DF. "É preciso que os artesãos despertem sua consciência empresarial e que o governo amplie as opções de crédito", apontou Adeilton. Torre de TV A subsecretária de Estruturação e Diversificação da Oferta Turística do DF, Meyre France, alertou  o fato de que a legislação impede que os pontos turísticos do DF comportem locais para de venda de artesanato.  "A Torre de TV, que é o nosso principal ponto de artesanato do DF, está repleto de produtos industrializados vindos de São Paulo, ressaltou a subsecretária. Vitor Correa, secretário-adjunto da Secretaria de Micro Empresa e Economia Solidária, afirmou que a pasta está trabalhando para aumentar os pontos de venda de artesanato no DF. "Temos projetos para a venda em postos de gasolina, supermercados e nas galerias do metrô. Também trabalhamos para recuperar a Torre de TV, que está em uma área nobre da cidade e precisa se tornar, de fato, um local de grande procura". Ao final da audiência pública, os deputados Agaciel Maia (PTC) e Cláudio Abrantes (PPS) reiteraram a importância do artesanato para a economia e a cultura do DF e se colocaram a disposição para auxiliar no encaminhamento institucional de seus pleitos. Fonte: Bruno Sodré/Coordenadoria de Comunicação Social.

Tags: