Canal
Geral

Agências e clientes trocam experiências

Por: 0 29 de Julho de 2015

Agências, clientes e fornecedores reúniram-se em um encontro memorável para discutir as diretrizes do live marketing no Brasil durante o segundo Congresso Brasileiro de Live Marketing, que terminou hoje (27/07) em São Paulo. O reforço das marcas em períodos de crise, a inclusão da ferramenta digital no mundo do live marketing quebrando barreiras, o desenvolvimento da criatividade, a necessidade de ousadia e o conflito de interesses no momento da compra foram algumas das questões abordadas por profissionais renomados durante o evento. congresso-live-mkt-2015_3 No primeiro dia a programação contou com o lançamento do Livro de Tony Coelho, "Do Marketing Promocional ao Live Marketing" e as apresentações envolvendo criação, planejamento e pesquisa. Na abertura  o presidente da Ampro, Kito Mansano, destacou o momento do setor. “Nós nos concentramos na energia que faz os desafios serem superados, ignoramos discursos de crises e nos concentramos no fazer, somos live marketing. Nós nos superamos a cada dia e estamos de volta com nosso Congresso.”, afirmou o executivo, lembrando que, dessa vez, o trabalho foi mais árduo. “Tivemos que convencer nossos pares e nos convencer também de que esse encontro é fundamental. No final do primeiro (em 2013), acreditei que esse segundo Congresso seria muito mais fácil, mas estava enganado.”, completou, pronto para os desafios. congresso-mkt-2015_2 Em seguida, o primeiro Comitê trouxe como tema “O valor do live marketing” e foi composto por três painéis: "A importância do live marketing no resultado do meu negócio"; "O live marketing sob o olhar da ideia" e "O live marketing como estratégia digital". As discussões seguiram após o almoço. “O live marketing é fundamental. Temos uma marca, um conhecimento muito forte, mas o grande desafio é gerar preferência e isso não vou conseguir por meio da televisão. Pela televisão consigo mexer com o emocional. O live marketing é importante para os momentos que não têm preço.”, analisou a VP de Marketing da MasterCard, Beatriz Galloni durante o primeiro painel. Também integraram os debates a Head of Branding & Creative da Nestlé Brasil, Tatiana Lemos e o CMO da Samsung Mobile, Ricardo Barbosa. A moderação foi feita pelo sócio-diretor da aktuellmix, Célio Aschar Jr.  “Este ano, o Comitê tem como maior objetivo o valor e a importância do live marketing. O live marketing é feito de pessoas que geram ideias, resultados. O nosso ponto de partida sempre será as pessoas. Os profissionais estão em toda parte. É importante frisar que somos muitos na quantidade, mas ainda somos pouco reconhecidos pela qualidade.”, apontou Ashcar. No segundo painel, representantes de agências falaram sobre criatividade, inspiração, briefing e brainstorm. “A inspiração vem de todos os lugares, principalmente, de ouvir as pessoas, histórias, música, está em todo lugar. Brigo com meu time até hoje. Odeio criativo de fone de ouvido. É preciso estar atento a tudo o que acontece.”, disse a diretora de Criação e Planejamento Adriana Salles. Já a VP de Criação e Planejamento Ana Paula Dugaich, destacou que “Hoje, tudo o que podemos fazer é inspirar, levar em frente as coisas para que as pessoas consigam entender, ter um conglomerado de referência, dar voz para a marca, levar para a rua e fazer as pessoas experimentarem.” Quando o assunto foi feeling e insight, o diretor de Criação da Mood, Bruno Brasileiro, foi enfático. “As agências têm o dever de levar ao cliente algo que encante, encha os olhos, faça a marca se destacar.” Outras opiniões ainda foram emitidas pelo diretor de Criação da The Marketing Store, Adriano Cerullo, pelo diretor de Planejamento da Tudo, Cleber Paradela e pela diretora associada de Planejamento – Live Team/ Grupo Team Creátif, Mônica Pedro. No terceiro painel, a estrategista de contas do Google, Nina Camargo, a diretora-executiva da Interactive Advertising Bureau (IAB Brasil), Cristiane Camargo e o líder da área de vendas do Facebook, Marcelo Pacheco mostraram a disponibilidade das empresas do setor de tecnologia para integrar projetos e formar parcerias com as agências. “Tenho duas notícias, uma boa e uma má. A ruim é que não há mais divisão entre digital e não digital. A boa é que estamos aqui para ajudar”, disse Pacheco. Com cases de sucesso para inspirar os participantes do evento, eles mostraram como o púbico está totalmente inserido na era digital. Entre os dados apontados estiveram o acesso ao celular pelo menos 100 vezes ao dia pela maioria das pessoas e a utilização do Instagram por cerca de 25 milhões de indivíduos. “Precisamos entender o digital como parceiro para quebrar barreiras.”, mencionou Nina. Após o almoço, o Comitê de Relações Sustentáveis contou com mais três painéis. O primeiro, cujo assunto foi "Um outro mundo é possível", teve a presença da CMO da Iris Group para as Américas, a britânica Sarah Aitken. Além disso, executivos da Jack Morton mostraram seu ponto de vista por meio de um vídeo, preparado exclusivamente para o Congresso. Sarah destacou algumas mudanças observadas no setor nos últimos anos, que garantiram avanços. “Temos visto uma integração do marketing digital com o tradicional. Nunca vimos uma evolução tão boa quanto agora. Há o surgimento do ponto de vista estratégico.” O segundo painel tratou de Compras Inteligentes e gerou polêmica entre os participantes, devido ao conflito de interesses observado entre as áreas de compras dos clientes e as agências. Esse conflito foi, inclusive, apontado por um dos integrantes dos debates, o vice-presidente de compras da PSA Peugeot Citroen América do Sul, Carlos Cruz. Ele destacou a divergência de prioridades, já que enquanto o setor de compras prima pela rentabilidade o de marketing busca a criatividade. Diante disso, ele acredita que é necessário mudar o formato atual para que ambos saiam ganhando. Uma das metas é a troca de experiências e aprendizados. “Precisamos equalizar o interesse de compras e marketing.”, disse outro participante do painel, o country manager da Inner Group, Fabio Bataglia, que falou sobre a experiência da empresa e os serviços prestados. O terceiro e último painel, Decálogos de Valor, foi comandado por Wilson Ferreira Junior, VP de Desenvolvimento Setorial da Ampro, e trouxe a busca desse mercado por diretrizes para não haver precarização da cadeia de valor. Em meio a esse anseio, foram apresentados dez princípios da Agência de Valor e o contraponto para os Clientes de Valor. A ética, a exigência de briefings detalhados e prazos razoáveis estão entre as premissas. Para fechar o painel, o presidente do Comitê, Ronaldo Ferreira, da Agência Um, foi anunciado como o novo presidente do Comitê de Relações Sustentáveis da Ampro, que deve reunir mensalmente as agências interessadas no aprimoramento das relações com os clientes. Ferreira comentou sobre da mudança do mercado como maior desafio. “Esse é o momento de fazer o negócio virar atitude”. O canal “Fala Mais” no site da Ampro, será uma das ferramentas colaborativas nesse processo. “Vamos ouvir as dúvidas e tentar ajudar”. O primeiro dia do segundo Congresso foi fechado em grande estilo com a palestra do apresentador do programa Manhattan Connection (Globonews), o economista Ricardo Amorim, com o tema “Um Oásis de oportunidades no Live Marketing em meio ao deserto da crise econômica”. Apesar das críticas ao cenário atual do País, o também presidente da Ricam Consultoria foi otimista em relação ao live marketing. [caption id="attachment_476193" align="aligncenter" width="448"]Ricardo Amorim: É hora das agências de Live Mkt se venderem por valor e não por preço! Ricardo Amorim: "É hora das agências de Live Mkt se venderem por valor e não por preço"[/caption] “Esse mercado vai crescer exponencialmente. O que tem valor hoje é a informação". No entanto, para que o resultado seja positivo, o profissional mostrou que é preciso pensar diferente. “Hoje, estão se vendendo por preço e não por valor e isso não pode acontecer.” Sites de Comunicação ignoram realização do Congresso O destaque negativo foi a total falta de espaço dos sites de comunicação ao assunto do congresso. Meio & Mensagem e Propmark, os maiores do segmento, não publicaram nem mesmo uma nota sobre o evento que reuniu mais de 500 participantes. Já os sites especializados publicam hoje, no enceramento do congresso, um documento reforçando a existência da imprensa especializada do setor promo. Promoview, Portal Radar, Revista dos Eventos e Revista Live Marketing lideram a iniciativa. Leia aqui No comunicado, Sergio Junqueira, o mais tradicional editor do mercado de eventos, destaca que "Setores fortes exigem fornecedores fortes, entidades fortes e uma imprensa forte. Cabe às entidades e a imprensa a defesa desse mercado, mas é a imprensa que tem o poder de trombetear sua importância. É a imprensa que pode promover as melhores práticas, atacar os maus procedimentos, procurar entender e discutir seu desenvolvimento, pesquisar o estado do mercado, difundir informações, ajudar na capacitação profissional e reconhecer o mérito dos profissionais. Imprensa forte necessita que a sociedade a agasalhe e lhe dê consistência econômica e, consequentemente, editorial." O segundo Congresso Brasileiro de Live Marketing tem continuidade durante todo o dia desta terça-feira (28/07) e encerra com a revelação das melhores campanhas, profissionais e fornecedores do live marketing no Brasil, durante a cerimônia do 15º Ampro Globes Awards. O evento tem ainda um lounge de exposições com acesso livre e aberto ao público até às 19h deste dia 28.

Tags: