Canal
Gente

Inteligência de mercado a serviço do varejo

Por: Aline Scullion 23 de Março de 2016

O uso de aplicativos especializados é uma realidade incontestável que veio para ficar.  Ao adotar este recurso para acompanhar o desempenho de seus produtos e categoria nas lojas do varejo, as indústrias acabam por adotar uma estratégia que contribuiu para a lucratividade do próprio varejo.

Avaliando o dia a dia, loja a loja,  os aplicativos oferecem informações que contribuem para gerar ações imediatas de sell in e sell out, tais como:

- reavaliação de mix por perfil de loja

- recomendação de revisão do planograma

- mudança na política de pricing

- prática de promoções e uso de recursos de merchandising

- administração de estoque

A rapidez na tomada de decisões destas iniciativas trará resultados positivos para a própria loja, garantindo eficiência no controle e giro dos estoques e no maior aumento do ticket médio.

As barreiras

Toda inovação necessita de um tempo para ser absorvida e ter seus benefícios efetivamente reconhecidos e aproveitados. Não é diferente com relação ao uso de aplicativos especializados no controle e análise da situação nos pontos de vendas.

Após 3 anos de efetividade no mercado brasileiro, ainda a alcançar melhores níveis de penetração, constata-se  certa resistência de todos os lados da cadeia.

Gerentes e Encarregados de lojas – muitos desconhecem a importância da ferramenta para seus próprios resultados, quando observa-se por exemplo a proibição do uso de smart phones por parte dos promotores e repositores que representam as empresas.

Promotores e Repositores – Acostumados a atuar sem controle de horários e com baixo afinidade com relação ao uso desta tecnologia, apontam problemas de utilização que em sua maioria são infundados;

Empresas  e Agências de Mão-de-Obra –  É crescente o número  que reconhece e adota o uso da ferramenta, porém ainda não disponibilizam recursos humanos dedicados a avaliar a riqueza de informações e apresentar diagnósticos e tomada de decisões rápidas para melhor aproveitamento do custo x benefício.

O ganha ganha

Vale lembrar que o interesse na qualidade de exposição é mútuo e que o trabalho de merchandising associado à inteligência de mercado traz resultados para todos.

O consumidor, ainda não citado até o momento, é o maior favorecido nesta história, pois encontrará o que procurava ou precisava sem se lembrar (ou saber), no ponto de venda que lhe é mais conveniente e adequado ao seu perfil.

 

Tags: