Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por

Olimpíada Big Brother: Todos serão vigiados no Japão

Por: Redação.. 24 de Julho de 2021

A Olimpíada que promete ser a mais tecnológica da história conta com um importante aliado para garantir a segurança e a saúde de todos os envolvidos: a biometria facial. 

Focado no cenário de pandemia, o projeto biométrico foi criado no Japão para reduzir o contato entre as pessoas e aumentar o distanciamento.

Leia também: Tóquio 2020: Os Jogos Olímpicos mais desafiadores da história.

Essas medidas são importantes, principalmente quando atletas, torcida, organização, imprensa e voluntários se encontram em espaços fechados e com grande circulação de pessoas. 

Espalhadas por esses locais, as câmeras ajudam a manter as pessoas protegidas do Covid-19 por meio de interações sem contatos diretos, além de alertarem sobre aglomerações. 

"Sabendo que estão sendo vigiadas, as pessoas tendem a se comportar de maneira mais mecânica.", analisa a professora do curso de Psicologia da Universidade Positivo, Josy Martins. 

Tecnologias semelhantes foram testadas em vários eventos que antecederam Tóquio 2020. A Liga de futebol japonesa, por exemplo, utilizou câmeras de reconhecimento facial nos estádios para monitorar o comportamento dos torcedores. E o relatório trouxe um dado interessante: cerca de 90% dos presentes usavam máscaras o tempo todo, enquanto os outros 10% tiravam a proteção para se alimentar durante as partidas. 

O projeto de transformação digital instalado no Tokyo Dome - um dos locais de competição -, por exemplo, usa a tecnologia de reconhecimento facial para controle de acesso biométrico, pagamento em lojas, pedidos de refeições, prevenção de fraudes e violência.

Além dos estádios, o reconhecimento facial está presente nos aeroportos, ruas e transporte público. A expectativa é vigiar em 3D todas as 300 mil pessoas credenciadas para a olimpíada. 

De acordo com o jornal Japan Times, são 8 mil câmeras de segurança e 2,5 mil sensores, instalados para monitorar possíveis ameaças aparentes e ocultas nos arredores das arenas esportivas.

Por trás de toda essa inovação estão gigantes da tecnologia como Intel, Alibaba, TI NEC Global e Panasonic. "O funcionamento exato da biometria facial para a segurança na olimpíada não está sendo divulgado para evitar que hackers entrem no sistema e representem riscos para o evento.", afirma o superintendente de Engenharia de Produtos da Tecnobank, Isaac Ferreira. 

Ele destaca que, atualmente, o reconhecimento facial é uma das opções mais seguras do mercado. Mesmo assim, é importante ficar alerta, porque “As tecnologias se mostram eficazes até que alguém aprenda a burlá-las."

 

Tags: tecnologia | seguranca | olimpiada