Canal
Esportes

A 100 dias dos Jogos, atletas comentam expectativa de representar o Brasil "em casa"

Por: Redação 28 de Abril de 2016

Faltam 100 dias para os Jogos Olímpicos do Rio 2016, a primeira edição do maior evento esportivo do mundo realizada na América do Sul

Para os atletas brasileiros, um motivo de responsabilidade, mas também de muita expectativa de buscar conquistas "em casa", com o apoio da torcida e dos familiares.

Entre os atletas assessorados pela MVP Sports, agência de comunicação e marketing esportivo de São Paulo, é exatamente esse o sentimento. Confira abaixo quatro desses casos.

Henrique Rodrigues

O nadador curitibano Henrique Rodrigues, do Pinheiros, que garantiu sua vaga nos 200m medley na seletiva da última semana, falou da expectativa para sua segunda Olimpíada, depois de ir a Londres 2012. "Não tem coisa melhor do que estar a 100 dias do maior evento esportivo do mundo, que ainda será na nossa casa, e agora com vaga garantida. É seguir treinando muito, saber controlar a emoção e focar no objetivo possível que é a medalha olímpica com apoio da nossa torcida", afirmou.

Entre os adversários, Henrique pode encarar em uma possível final o maior atleta olímpico de todos os tempos, Michael Phelps, além do recordista mundial Ryan Lochte e do compatriota Thiago Pereira.

Guilherme Toldo

O esgrimista gaúcho Guilherme Toldo, do Grêmio Náutico União, também está garantido para sua segunda edição dos Jogos e brincou sobre a ansiedade que vive para competir no Rio de Janeiro. "Estou cada vez mais ansioso, até comendo todas as unhas das mãos para que chegue esse dia logo! ".

Classificado no Florete para as disputas do Individual e por equipes através do ranking da FIE (Federação Internacional de Esgrima), Toldo também sonha com a medalha. "Estou treinando muito forte há bastante tempo e estou pronto. Quero muito que chegue o mês de agosto para sentir esse gostinho de Olimpíada e poder defender o nosso país com unhas e dentes, mostrar tudo que eu treinei, alcançar meus objetivos e chegar cada vez mais perto de brigar por uma medalha".

Lara Teixeira

Com experiência de duas Olimpíadas no currículo (Pequim 2008 e Londres 2012), a carioca Lara Teixeira, do nado sincronizado, analisa o que ainda falta a aprimorar nesses 100 dias. "Estou ansiosa! Para mim está perto, mas ao mesmo tempo longe. Ainda faltam alguns ajustes na coreografia e treinos físicos pela frente, mas pensar em 100 dias é muito pouco. Tenho certeza que faremos uma bela apresentação", afirma Lara, pré-convocada para a Seleção Olímpica Brasileira de nado sincronizado.

Lara viverá o evento de forma ainda mais intensa, já que vai se despedir das competições justamente após a Olimpíada do Rio de Janeiro. "Estou feliz de poder fazer parte desses jogos e ter o privilégio de encerrar minha carreira em casa", conclui.

Charles Chibana

Há também a expectativa de quem pode disputar sua primeira Olimpíada justamente em casa. É o caso do paulistano Charles Chibana, da Seleção de Judô. O atleta do Pinheiros começou a se destacar mundialmente em 2013 e vem evoluindo desde então. Em 2015, foi ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto e segue como o melhor brasileiro de sua categoria no ranking mundial.

"Poder disputar a primeira Olimpíada já é uma honra. Se essa Olimpíada é em casa então, é um sonho para todos nós. Espero continuar fazendo bem o meu trabalho para representar muito bem o judô brasileiro". No judô, o Brasil tem vaga garantida nas 7 categorias masculinas e nas 7 femininas, mas a Confederação só deve fazer o anúncio oficial dos nomes de todos os judocas no fim de maio, baseado no ranking mundial e em critérios técnicos.

Tags: Jogos Olímpicos