Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por

Vivo promove a maior exposição digital de arte negra do país

Por: Redação.. 16 de Novembro de 2021

No Mês da Consciência Negra, a Vivo lança a maior exposição digital de arte negra do país, o projeto “Telas Pretas”

Com curadoria da artista multimídia Igi Ayedun, a iniciativa reúne artistas negros para uma exposição com obras inéditas. As mais de 240 lojas da marca em todo o Brasil serão transformadas em galerias, promovendo visibilidade e reflexão sobre a representatividade negra na arte brasileira. 

Leia também: Vivo inaugura sua primeira ‘wall store’ do Brasil.

As obras que compõem o Telas Pretas foram produzidas exclusivamente para a exposição e conta com os nomes: Brasilandia.co, Rainha F, Gabriel Massan, Silvana Mendes, João Moxca e Manauara Clandestina. 

“O projeto contempla uma pluralidade de perspectivas sobre a cultura afro brasileira”, conta a curadora Igi Ayedun. “Passa por narrativas afrofuturista e por uma ideia interplanetária de negritude.”, complementa.  

Além das mais de 600 telas nas lojas da Vivo, as obras também ocuparão as redes sociais da marca e diversos espaços publicitários espalhados pelo país. 

Por fim, ainda estarão expostas na galeria de Arte HOA, fundada por Igi Ayedun e a primeira a ser dirigida por uma equipe 100% negra.

“A Vivo quer seguir buscando caminhos para promover uma sociedade mais inclusiva. A empresa já possui sólidos compromissos e ações focadas em equidade racial, e nos projetos de comunicação a nossa preocupação está centrada na pluralidade, trazendo profissionais negros para atuarem dentro e fora da Vivo.”, afirma Marina Daineze, diretora de Marca e Comunicação da Vivo. 

“Nossa reflexão parte do apagamento sistemático que artistas negros sofreram ao longo da história, e em como a tecnologia pode contribuir em um processo de transformação e construção de um futuro mais plural.", complementa.

A ação é continuidade de outros projetos que a marca vem trabalhando ao longo do ano nos territórios de arte, teatro, cultura e educação, sempre em uma perspectiva construtiva e antirracista.

Para potencializar ainda mais a temática, foi criada uma música inédita “Nosso Reflexo”, interpretada pela dupla Tasha&Tracie e pela cantora, atriz e compositora Aline Wirley. 

O clipe, com lançamento previsto para 10 de novembro nas plataformas digitais da Vivo, tem direção da dupla CeGê, sigla que representa as artistas independentes Camila Tuon e Gabiru. 

Letra e produção destacam o resgate das referências que passaram por apagamentos históricos e mostram a tecnologia como um meio para promover a mudança e construir um novo legado para arte negra.  

"É inovador, é forte, é intenso. A linguagem do trap que representa a periferia, mas é um ritmo mais nichado, dessa vez está no centro e vai chegar em ainda mais pessoas. A mistura dessas meninas novas, com um nome mais pop como o da Aline Wirley, traz uma potência e um alcance ainda maior pra nossa mensagem de empoderamento e de arte preta.”, conta Rafael Pitanguy, VP de Criação da VMLY&R, agência responsável pela criação do projeto.

“Telas Pretas” é mais um projeto do Vivo ON, hub de conteúdo digital da Vivo, que cria e executa a estratégia de conteúdo digital da marca. 

O Vivo On, formado pelos times da Vivo, da agência VMLY&R e pela produtora Coração da Selva, tem como proposta dar espaço a ideias inovadoras e construir conteúdos envolventes, conectados com temas relevantes da cultura e sociedade.

Histórico de valorização de raça

A Vivo é uma marca inclusiva e, desde 2018, vem fazendo um sólido trabalho com o programa Vivo Diversidade - pautado nos pilares de Gênero, LGBTI+, Raça e Pessoas com Deficiência. 

Além de colocar em prática ações afirmativas, a empresa acredita que o tema diversidade precisa ser abordado com frequência e profundidade, em diferentes fóruns. Pensando nisso, criou a Jornada Vivo Diversidade, com 12 temas que são discutidos ao longo do ano com toda a empresa. 

O último trimestre de 2021 será dedicado a temáticas raciais. Em outubro, a companhia conversou com o seu público interno sobre desconstrução do racismo.

Em novembro, além do projeto Telas Pretas, a empresa vai debater com seus colaboradores sobre afroempreendedorismo. Já em dezembro, será a vez de falar sobre diversidade racial na cadeia de valor.

Este ano, a Jornada Vivo Diversidade debateu também sobre o colorismo, um termo utilizado para anulação e diferenciação de pessoas da mesma raça, classificando-as do tom mais claro ao tom mais escuro de pele, dos traços mais aos menos negroides. 

Além disso, lançou, em parceria com o Instituto Modo Parités, um programa de desenvolvimento de carreira para 100 colaboradores negros, trabalhando com a descoberta das potencialidades de cada indivíduo, abordando aspectos pessoais e profissionais, que podem apoiar nas oportunidades de desenvolvimento de suas carreiras.  

A Vivo também vem realizando um conjunto de ações com foco na temática racial dentro da empresa. A edição do programa de estágio, lançado este ano, prevê que 50% das 750 vagas abertas sejam destinadas a pessoas negras. Já no último programa de trainee, 43% das vagas foram preenchidas por pessoas negras, superando os 30% de expectativa da empresa. Hoje, a Vivo possui 29% de todo o seu quadro de colaboradores composto por profissionais negros.

Em projetos de comunicação, destacamos o “Fábulas da Conexão”, uma séria de quatro curtas metragens que abordavam histórias brasileiras pela ótica do afrofuturismo, e também o primeiro reality show no LinkedIn “Vivo nas Ideias”, com o objetivo de discutir tecnologia e protagonismo negro no mercado de trabalho. 

Apresentado por Xan Ravelli, o Reality contou com a presença de grandes nomes do mercado de comunicação como Rafael Pitanguy da VMLY&R, Luciano Patrick, da Coração da Selva, Samantha Almeida, diretora de criação da Globo e Marina Daineze, diretora de Marca e Comunicação da Vivo. 

Ao final do reality um dos participantes foi contratado pela Vivo para atuar no Vivo On. Na SP-Arte deste ano, a Vivo reuniu em seu espaço no evento todas as suas iniciativas artísticas relacionadas a temática negra, que vem pautando ações da empresa desde 2018. 

Ainda em 2021, a Vivo promoveu no Teatro Vivo em Casa uma temporada inteira de espetáculos todos interpretados por atores e atrizes negros.

 

Tags: vivo mes-da-consciencia-negra exposicao-digital arte-negra