Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por

Para se diferenciar, Bottega Veneta abandona redes sociais

Por: Redação com informações da Exame.. 12 de Janeiro de 2021

Se o luxo tem sua essência de valor e percepção naquilo que é inacessível, com o fazer excelente e com uma matéria-prima de alta qualidade, não é de se estranhar a atitude da Bottega Veneta de deletar sua presença das mídias sociais

Pelo jeito, os likes, comentários e compartilhamentos em mídias sociais já não são parâmetros de sucesso, faturamento ou lucro. 

Confira as últimas novidades sobre digital e tecnologia aqui.

Leia também: Confira as tendências que marcarão as redes sociais em 2021

Em um tempo que o on-line virou massa e o off-line se tornou símbolo de uma vida privada, o valor do luxo, ao que tudo indica, vai estar no que é humano e possibilita troca e interação na vida que acontece lá fora. 

Mas como isso pode ser possível em tempos de pandemia e isolamento social? Temos que lembrar e considerar que o público-alvo deste segmento pode garantir uma vida social com contato humano. 

Basta vermos o artigo do The New York Times, publicado em março de 2019, que traz que o contato humano como uma tendência de comportamento de consumo.  

“À medida que mais telas aparecem na vida dos pobres, as telas estão desaparecendo da vida dos ricos. Quanto mais rico você é, mais gasta para ficar fora da tela.”, revela Milton Pedraza, o presidente-executivo do Luxury Institute. 

"O que estamos vendo agora é o luxo do engajamento humano.”, complementa Pedraza. 

Por mais que a ausência digital da grife italiana seja temporária – ainda não se sabe se é uma estratégia de marketing a longo prazo-, o que se nota é que ressignificar a presença de marca é preciso, e, tal presença, pode e deve estar muito além das redes sociais.

O questionamento sobre o poder das redes sociais vem do próprio diretor-criativo da Bottega Venneta, Daniel Lee. Em entrevista à Cultured Mag, o designer afirmou ser um outsider das mídias sociais

“Eu vejo o Instagram e as redes sociais às vezes, mas acho que muito pode ser perigoso e prejudicial ao processo criativo. Todo mundo vendo a mesma coisa não é saudável ou produtivo. Não cria individualidade.”, disse Lee.

É fato: Conectar-se com o verdadeiro consumidor vai além de postagens e vídeos cinematográficos de  90 segundos e muitos players já perceberam que é o que o consumidor mais deseja.

Hoje quem consome quer ir além da tal conectividade. As pessoas esperam receber afeto em troca, e não somente produtos postos em carrinhos e prontos para check-out. 

Outras empresas também estão abandonando as redes sociais 

A Bottega Venneta não é a primeira marca a abandonar as rede sociais. Em 2019 a empresa britânica de cosméticos Lush também deixou as mídias sociais para trás. 

"As redes sociais cada vez mais dificultam que falemos entre nós diretamente. Estamos cansados de lutar contra algoritmos, e não queremos pagar (às redes sociais) para aparecer no feed de notícias de vocês (consumidores).", disse a marca em um anúncio na época. 

Em 2018, a a rede britânica de pubs Whetherspoons também deixou de estar no Facebook, Instagram e Twitter afirmando que essas plataformas abrem espaço para o mau uso de dados pessoais. 

Já algumas empresas preferem eliminar a presença apenas em uma rede social. As gigantes Tesla e SpaceX do bilionário Elon Musk excluíram os perfis no Facebook após o escândalo onde a plataforma foi acusada de fornecer de maneira ilegal os dados pessoais dos usuários. 

Tags: redes-sociais | Bottega-Veneta | mercado-de-luxo