Canal
Digital

Booking.com finalmente consegue se registrar nos EUA

Por: Reuters. 1 de Julho de 2020

A empresa de reservas de viagens Booking.com, uma unidade da Booking Holdings Inc, conseguiu finalmente registrar seu nome nos Estados Unidos. Isto porque anteriormente o Escritório de Marcas e Patentes dos EUA negou o pedido da empresa de registrar o nome Booking.com, por ser "genérico demais" e abrir precedentes para outros nomes do gênero. 

Em tradução livre para o português, seria como se a empresa se chamasse Reservas.com .

A decisão chegou ao Supremo Tribunal americano, que afirmou que as pesquisas deixaram claro que os consumidores entendem que a Booking.com se refere a uma empresa em particular, e não a serviços de reserva de hotéis on-line em geral. "Como 'Booking.com' não é um nome genérico para os consumidores, não é genérico", escreveu a justiça liberal Ruth Bader Ginsburg na decisão. 

A Booking.com, sediada em Amsterdã, acolheu a decisão, com a porta-voz Kimberly Soward dizendo em um comunicado que "demonstra que o sistema jurídico dos EUA tem capacidade de evoluir para refletir o mundo digital em que vivemos". 

David Bernstein, advogado da Booking.com, chamou a decisão de "uma vitória para inúmeros proprietários de marcas que investiram recursos significativos na construção de suas marcas - como Weather.com, Law.com, Wine.com e Hotels.com". O porta-voz do Escritório de Marcas e Patentes dos EUA, Paul Fucito, se recusou a comentar.

A lei dos EUA permite registros de marcas comerciais apenas em termos "descritivos" ou capazes de distinguir um produto ou serviço específico de outros no mercado. Palavras "genéricas" que se referem a uma categoria inteira de bens ou serviços, como "carro" ou "computador", não podem ser protegidas por lei, pois isso daria uma vantagem competitiva injusta ao titular da marca registrada. 

A Booking.com começou a usar seu nome globalmente em 2006 e registrou solicitações de marcas registradas nos EUA em 2011 e 2012. Um tribunal do Escritório de Marcas e Patentes dos EUA rejeitou essas solicitações em 2016, dizendo que “reserva” é um termo genérico para uma categoria de serviços e que o a adição de ".com" não o transformou em uma marca comercial protegida.

Foto de capa: Copyright: Joep Poulssen

Tags: booking.com | hoteis