Canal
Brand Experience

Nike acirra briga para evitar que atletas olímpicos usem marcas rivais

Por: Redação 9 de Julho de 2016

Uma das maiores promessas do atletismo dos Estados Unidos para os Jogos Olímpicos deste ano participou de uma corrida em Los Angeles no mês passado esperando uma competição acirrada, mas, em vez disso, acabou recebendo uma intimação judicial da Nike Inc.

O campeão mundial Boris Berian foi processado pela Nike depois que optou por descontinuar um contrato com ela para ser patrocinado pela New Balance
O campeão mundial Boris Berian foi processado pela Nike depois que optou por descontinuar um contrato com ela para ser patrocinado pela New Balance

Boris Berian — campeão mundial masculino dos 800 metros em pistas cobertas — foi abordado por um representante da Nike com papéis de um processo que alega que o atleta de 23 anos violou seu contrato de patrocínio quando aceitou uma oferta rival da New Balance em janeiro, declinando uma oferta equiparável da Nike.

Faltando poucas semanas para as provas que determinarão a equipe olímpica americana para os Jogos no Rio, a Nike está buscando uma ordem de restrição temporária que impeça Berian de competir usando qualquer equipamento que não seja Nike.

A Nike é conhecida por ser agressiva em sua campanha para angariar atletas, mas um processo como esse é incomum, dizem agentes esportivos e executivos da indústria. O fato da maior fabricante de equipamentos esportivos do mundo estar brigando por Berian, um corredor pouco conhecido que servia hambúrgueres no McDonald’s antes de voltar ao esporte há um ano, mostra o quanto a Nike quer evitar que outra estrela potencial corra com a logomarca de um concorrente, como o jamaicano Usain Bolt usando os tênis Puma.

Berian se retirou de duas corridas que ocorrem em breve e pode não participar das provas pré-olímpicas que começam em 1o de julho, de acordo com seu agente, Merhawi Keflezighi. “Se Boris tiver que competir com qualquer afiliação à Nike, como a Nike está reivindicando, ele vai pensar duas vezes antes de fazê-lo”, diz Keflezighi. Ele diz que a oferta da Nike incluía cláusulas que a New Balance não impôs.

A Nike não respondeu imediatamente a um pedido de comentário, mas informou em documentos apresentados a um Tribunal Distrital do Oregon que a marca “sofreria um prejuízo grave, substancial e irrefutável se [Berian] promover os produtos de um concorrente”. 

Tags: Jogos Olímpicos | Serviços