Canal
Brand Experience

Inauguração da Casa do Choro reúne fãs do ritmo

Por: 23 de Junho de 2015

O Rio de Janeiro ganhou no dia 25 de março, a Casa do Choro, primeiro centro de referência do gênero na cidade, que foi inaugurado com o VI Festival Nacional do Choro.

O festival reuniu vários grupos dedicados ao ritmo do Brasil e do Exterior, e transformou a Praça Tiradentes, no Centro, em uma grande festa.

A casa, uma construção de três andares do início do século passado, é administrada pelo Instituto Casa do Choro, sob a presidência da compositora e cavaquinista Luciana Rabello e vice-presidência de compositor, arranjador e violonista Mauricio Carrilho. No prédio da Rua da Carioca 38, a casa tem oito salas de aula, estúdio, centro de pesquisa e auditório para shows e palestras.

Fotos: Reprodução.
Festa de inauguração da Casa do Choro.
Festa de inauguração da Casa do Choro.

"Nós somos, de fato", uma referência no assunto. Aqui estão reunidas mais de 15 mil partituras, desde o começo do choro até os dias de hoje.", afirmou Luciana Rabello.

A festa de inauguração saiu de dentro da construção que abriga a instituição e ganhou a Praça Tiradentes, tradicional reduto da boemia carioca no Centro. Famílias, amigos e casais se reuniram para assistir as apresentações. Passaram pelo lugar grupos como "Choro na feira", "Água de moringa" e "Galo preto".

Construção histórica

O lugar foi cedido pelo governo do Estado do Rio de Janeiro. O imóvel, que segundo pesquisas foi construído por volta de 1902, estava em ruínas e foi totalmente restaurado com apoio financeiro do BNDES, patrocínio da Petrobras e incentivo da Lei Rouanet. A programação tem apoio da Secretaria Municipal de Cultura e faz parte do calendário dos 450 anos do Rio.

A construção com características semelhantes as dos templos mouros (tem o apelido de “Mourisquinho”) é tombada pelo Inepac e foi cedido pelo governo do estado do Rio de Janeiro para o Instituto Casa do Choro.

casa do choroPara Luciana Rabello, a criação do espaço é, antes de mais nada, “Uma atitude de respeito com a mais antiga e rica música instrumental brasileira”. O sonho de muitas gerações de chorões também foi abraçado por personalidades reunidas no conselho do instituto.

Déo Rian, Dori Caymmi, Hermínio Bello de Carvalho, Katia de Almeida Braga, Luiz Otávio Braga, Maria Bethânia, Paulo Cesar Feital, Paulo César Pinheiro, Roberto Almeida, Roberto Gnatalli, Sergio Prata e Sergio Cabral são os integrantes.

A Casa do Choro estará aberta à visitação pública a partir do segundo semestre, de forma gratuita, exceto em dias de apresentações artísticas, responsáveis pela receita que ajudará a custear a manutenção do espaço. Mas, durante o VI Festival Nacional do Choro, o público já poderá conhecer a casa nas palestras que também fazem parte da programação do evento.

Acervo

A Casa do Choro vai abrigar e disponibilizar ao público o acervo do instituto com mais de 15 mil partituras relacionadas ao repertório do choro desde o Século XIX, dois mil discos de 78 rotações e LPs, além de vasto material bibliográfico e iconográfico relativo ao universo do choro.

Todas as partituras foram digitalizadas e poderão ser consultadas no site.

Tags: