BRAND EXPERIENCE

BRAND EXPERIENCE

São ruins e vêm dentro de um Cavalo de Tróia

São ruins e vêm dentro de um Cavalo de Tróia

Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por
); ?>


24 de Abril de 2018

Queria que meu tema de hoje tivesse, além de conteúdo, algo a ver com o próprio dia, já que vem seguido a três datas festivas: 21 de Abril, dia de Tiradentes, 22 de Abril, data do Descobrimento do Brasil e 23 de Abril, dia de São Jorge.

 

Futuquei, futuquei  e descobri que no dia 24 de abril comemoramos, especialmente os Gregos, a data em que o célebre Cavalo adentrou os muros de Tróia e acabou com a guerra.

Segundo a história, Odisseu teria tido a ideia de construir um gigantesco cavalo e presentear os troianos, como um gesto simbólico de rendição da guerra.

Os troianos aceitaram o “presente” e levaram o cavalo para o interior das muralhas de Tróia. Todos os soldados beberam e comemoraram a rendição do inimigo, e, quando todos estavam dormindo, centenas de soldados gregos saíram de dentro do cavalo e atacaram a cidade.

Daí, o pobre cavalo de ideia estratégica ganhou fama de coisa ruim. Tem vírus com seu nome e a presente ruim chamamos de "Presente de Grego,” por sua causa.

Então, desculpe aí cavalinho, você é fantástico, mas não é do Fantástico e eu vou usá-lo no meu artigo em péssima comparação.

Se tem uma coisa que me irrita é gente ruim, desqualificada, garganta, que faz marketing de si mesma e engana, qual candidato falso, gente qualificada, gestores, diretores e gente boa de altos postos.

Ganham espaço indevido, e, quase sempre, não fazem nada e vivem na “aba” de quem faz.

Estrelas, normalmente gostam de aparecer sobre os outros, e, na maioria das vezes, só são descobertos em seus ardis quando é muito tarde, pois sempre têm desculpa e culpados para seus erros, que nunca assumem.

Conheço essa gente. Destroem empresas e pessoas com sua arrogância e fofocas. São dos “bastidores”, como normalmente falam, são “marqueteiros do mal” e fazem a Comunicação do nada.

São os “ratos de festa’, estão em todo os lugares, pois os flashes os seduzem. Só não agem! Deixam que os outros façam por eles para ganharem os méritos.

Pensei que tinham acabado em empresas e instituições num momento em que a moralidade e o mérito emergem. Quase não os via entrar pela porta da frente.

Descobri. Como vírus de garganta, estão usando Cavalos de Tróia e fazendo estrago aos que enganam, enquanto dormem.

Pena. Tanta coisa boa para herdar dos gregos: a arquitetura, o teatro, a matemática e a geometria, Os Jogos Olímpicos... bom esses chegaram.

A democracia.

Boa herança para concluir esse artigo.

Na época da limpeza dos corruptos, onde governo do povo pode ser exercido com inteligência, das agências enxutas e espoliadas, os gargantas devem sair.

A igualdade é só para os iguais. Deve ser. Não se pode trocar profissionais que fazem por vírus de discurso.

Portanto, aos desiguais, a justa desigualdade, para que os ruins caiam do cavalo.

Tags: brasil ente-do-ive-arketing rticulista-ditor g-ncia-ive-arketing Comunicação Artigo|Opinião|Ensaio