brand experience

O tempo não para...


14 de Fevereiro de 2020

Lembrando meu tempo de Pizzaria Guanabara e do velho e bom Cazuza, poeticamente imbatível, mandei ver na minha playlist e me dei conta do quanto o cara tá vivo.

Clique e assista a live do Tony sobre este conteúdo

Viva Cazuza!

Foi então que uma de sua letras invadiu minha alma com a força do que não perde valor: O tempo não para.

As coisas e gente escrota não mudam, passe o tempo que passar. No nosso mercado, na política, nas eleições.... nada mudou.

E aí, “Disparo contra o Sol, sou forte, sou por acaso
Minha metralhadora cheia de mágoas. Eu sou um cara!...”

Um entre tantos e não sou o melhor, mas resisti. Viver numa época em que ter opinião dava cana e ainda assim continuar era f...

“...Cansado de correr na direção contrária, sem pódio de chegada ou beijo de namorada. Eu sou mais um cara!...”

Mais um entre tantos a gritar, buscando equidade e justiça, tanto num mercado de gente injusta, cliente injusto, quanto num mundo-País de gente esquisita que acena com o que não fará.

“...Mas se você achar que eu tô derrotado, saiba que ainda estão rolando os dados, porque o tempo, o tempo não para...”

Não, não estou derrotado. Derrotado não reage e aceita calado a injustiça. Eu não calo!

“...Dias sim, dias não, eu vou sobrevivendo sem um arranhão da caridade de quem me detesta...”

Azar de quem me detesta. Tem que me receber de algum modo.

“...A tua piscina tá cheia de ratos, tuas ideias não correspondem aos fatos.
O tempo não para.
Eu vejo o futuro repetir o passado,
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não para. Não para não, não para...”

Começou o horário gratuito na TV. Que M... Os ratos nadam.

“...Eu não tenho data pra comemorar
Às vezes os meus dias são de par em par
Procurando agulha num palheiro...”

Tá difícil encontrar par, mas, nos bares de gente, a gente encontra. Que tal no Pirajá? A gente se encontra lá.

“...Nas noites de frio é melhor nem nascer
Nas de calor, se escolhe, é matar ou morrer
E assim nos tornamos brasileiros...”

Que frio! Que calor! Minha poesia brasileirou e cazuzou.

“...Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro
Transformam um país inteiro num puteiro
Pois assim se ganha mais dinheiro...”

Me chamaram disso tudo, mas o que sempre queriam era não perder discussão, nem dinheiro. Mas, quanto ao País virar um puteiro, depende de nossas escolhas.

“...A tua piscina tá cheia de ratos, tuas ideias não correspondem aos fatos. O tempo não para
Eu vejo o futuro repetir o passado, eu vejo um museu de grandes novidades. O tempo não para
Não para não, não para...”

E você? Já escolheu seu cliente? Seu candidato? Porque o tempo não para.

Cazuze também. “Ideologia. Eu quero uma pra viver".

Tags: Artigo|Opinião|Ensaio