MICE BUSINESS

MICE BUSINESS

Viagens corporativas impactadas pela legislação sobre mudança climática da União Europeia

Viagens corporativas impactadas pela legislação sobre mudança climática da União Europeia

Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por
); ?>


28 de Fevereiro de 2022

O pacote de propostas da Comissão Europeia para o Fit for 55, legislação que prevê redução das emissões de gases de efeito estufa em 55% até 2030, um novo imposto de carbono e regulamentos para energia renovável deve impactar as viagens corporativas em breve.

Segundo artigo de Matthew Parsons, no portal Skift, as companhias aéreas e os aeroportos europeus já estão se opondo a algumas propostas por causa da preocupação de que suas contrapartes não europeias não estariam sujeitas aos mesmos regulamentos. Enquanto isso, sete países da Europa estão pedindo aumentos maiores na quantidade mínima de combustível sustentável de aviação sustentável que as companhias aéreas devem usar no futuro. 

"O custo da adoção de combustível sustentável será uma grande preocupação, se as companhias aéreas (e, portanto, os passageiros) tiverem que pagar a conta. Nos EUA, por exemplo, a Delta Airlines disse que o setor de aviação precisará de investimentos de US$ 250 bilhões neste tipo de combustível para atender a 10% do consumo do setor aéreo em apenas nove anos.

Leia também: Viagens corporativas fecham ano de 2021 com receita de R$ 4,370 bilhões

No entanto, o impulso está crescendo com empresas de viagens, incluindo American Express Global Business Travel, Skyscanner e Etraveli Group, firmando parcerias com a fabricante de combustíveis SkyNRG, por exemplo. A gestora de ativos APG, patrocinadora da CitizenM Hotels, também acaba de assinar um contrato de 10 anos.

A GBTA está pronta para fazer lobby e quer defender as viagens corporativas. O desafio será colocar suas lideranças na frente dos formuladores de políticas em Bruxelas.

“Isso é o que está acontecendo, o que estamos cientes, na Europa este ano”, disse Catherine Logan, vice-presidente regional da Europa, Oriente Médio e África, no evento. “Uma das maiores leis que tramitam em Bruxelas este ano é o Fit for 55. Estamos acompanhando isso muito, muito de perto, para garantir que consultemos e contribuamos em nome do setor de viagens de negócios, pois sabemos que essa é uma grande prioridade para nossos membros, compradores e fornecedores.”

A associação também desejará ver evidências concretas de que quaisquer novas taxas ou impostos cobrados serão reinvestidos para acelerar a transição para a energia verde, em vez de as viagens serem simplesmente usadas pelos governos como um método conveniente para arrecadar dinheiro", finaliza o artigo

Tags: sustentabilidade gestao-de-viagens eventos viagens-corporativas uniao-europeia