MICE BUSINESS

MICE BUSINESS

Metaverso e ESG encerram jornada virtual pré-Lacte

Metaverso e ESG encerram jornada virtual pré-Lacte

Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por
); ?>


4 de Março de 2022

“Desde dezembro estamos trazendo muitos conteúdos com bastante provocação e reflexão. Isso porque a ALAGEV quer encurtar os caminhos para aquilo que coletivamente desejamos para o nosso setor: fundamentos melhores e iniciativas pioneiras e vanguardistas para a adaptação consistente de um setor que, acima de tudo, conecta as pessoas para transformar o mundo. E com base nisso, estamos chegando à 17.ª edição da LACTE, que acontece em 8 e 9 de março. Será um momento marcante para o nosso mercado, um momento em que vamos pensar, criar e construir o novo pela sustentabilidade, equidade e inclusão”.

Com este depoimento apaixonado e cheio de propósito, a diretora-executiva da Alagev, Giovana Jannuzzelli, comentou o encerramento na última semana da jornada virtual promovida pela Associação Latino Americana de Gestão de Eventos e Viagens Corporativas (ALAGEV), encontro que contou com 100 participantes latino-americanos, especialmente organizadores de eventos, em uma sessão online e gratuita.

Leia também: Chaves para a percepção humana nos eventos

ESG e metaverso foram assuntos de reflexão que agitaram dois painéis. O primeiro teve como tema “Eventos de impacto positivo – como trazer o ESG para as práticas de eventos”, com foco principal nas atividades de Environmental, Social and Corporate Governance, ou seja, análise dos fatores sociais e ambientais das empresas. Dele participaram Dilma Souza Campos, fundadora e CEO da boutique de criatividade estratégica Outra Praia, e Juliana Patti, head de eventos e conformidade para América Latina da Bayer, engajada em temas ligados à diversidade e inclusão, com mediação de Thianne Martins, iniciadora de cuidadoria e co-criadora da metodologia de formação de líderes evolutivos.

“Hoje em dia, ser uma empresa que olha para os três pilares do ESG faz com que ela ganhe mais valor no mercado, e isso a leva a incorporá-los em sua cultura interna. É visível o quanto as organizações estão se transformando ao longo desses dois anos, principalmente a parte do ‘culturalmente diverso’, que mostra o quanto as diferenças as fazem ser mais completas”, conta Juliana, que entende que o ESG deixou de ser uma tendência e já se tornou uma realidade.

Giovana Jannuzzelli, diretora executiva da Alagev


“A partir do momento que uma empresa começa a implementar a política de ESG, isso passa a circular pela cadeia toda. Estamos falando dos negócios das empresas e que também entram para os negócios dos fornecedores. Já somos questionados, como fornecedores, se temos determinadas certificações, se fazemos uso do carbono zero, se reciclamos materiais de eventos… Você começa a ver que não existe um início e um fim, mas sim uma conexão em rede, em que aprendemos juntos. E abrir esse diálogo é o primeiro passo para mudar o futuro”, comenta Dilma.

Já o segundo painel, “Metaverso: um modelo de evento ou de comunidade”, abordou conceitos sobre o mundo virtual e os seus impactos no mercado corporativo. Moderada por Catarina Papa, mentora e cofundadora da Unblock Capital, a discussão teve a participação de Bernardo Mendes, sócio e fundador da Druid e integrante da lista Forbes under 30; Fernando Godoy, CEO da Flex Interativa, mentor e investidor de várias startups; e Ney Neto, managing director do Dorier Group Brasil.

“A internet que a gente conhece (2D) é uma que a gente vê, e o metaverso é uma internet que a gente sente que faz parte dela, é como se a gente emergisse nela”, explica Neto. “Nessa nova web, nós acabamos nos tornando donos dos microssistemas existentes. Não considero que o metaverso precisa ser 3D imersivo; ele pode ter outro formato, ainda assim promovendo uma série de funcionalidades com senso de comunidade e engajamento”, completa Mendes.

Quando questionado sobre o metaverso no universo de eventos, Godoy menciona que acredita muito no modelo híbrido. “O presencial vai continuar. Reclamaram quando teve início o rádio, a TV, a internet... Com o metaverso, assim como com toda nova tecnologia, não é diferente. Eu vou continuar indo a eventos fisicamente. Mas e se eu não puder? O bacana do metaverso é que ele começa a democratizar, a dar acesso às pessoas, seja por questões financeiras ou de acessibilidade. Imagine eu ter uma experiência em um ambiente 3D, em uma ilha, e mergulhar no fundo do mar se eu sou cadeirante. Ele chegou para tangibilizar, trazer experiências e se aproximar do mundo físico. Faço um evento presencial para 1.000 pessoas, mas posso conectar 100.000, por exemplo”, conclui. 

Para acompanhar o conteúdo completo das três sessões da Jornada Virtual Pré-Lacte, acesse o canal do YouTube da ALAGEV 

O Lacte17 acontece nos dias 8 e 9 de março e será presencial para 600 participantes (além do público virtual) no WTC Events Center. Em sua 17.ª edição, a L²ACTE² (Live Latin America Community Travel and Events Experience) traz em sua conceituação os pilares comunidade, conexão, colaboração e construção. A causa principal do encontro, que começa no Dia Internacional da Mulher (8 de março), será o "Protagonismo Feminino no Turismo".

Com a assinatura "Build back better together", estará voltada a trazer conteúdo alicerçado em reduzir custos, cuidar da comunidade e ser, de fato, agente da mudança. Tudo isso, junto e potencializando a criatividade, o conhecimento e as conexões de toda a comunidade de viagens e eventos corporativos – gestores e fornecedores –, para que cada um contribua ativamente na reconstrução de um setor transformado e sustentável para todos.

Tags: meio-ambiente eventos metaverso esg corporativo