GERAL

Parceiros diversos transformam crises em oportunidades


28 de Abril de 2021

O grande objetivo de uma agência é entender, atender bem e surpreender positivamente seus clientes. Mas, para fazer isso, é preciso estar ligado o tempo todo nas novas soluções e tendências do mercado. 

Sem conexão com parceiros e fornecedores, com suas soluções e novidades, não conseguimos chamar a devida atenção dos clientes. Precisamos de repertório e de novidades a todo momento. Para fazer isso funcionar em uma agência, é preciso vontade, determinação e gente que faça acontecer.

Agora, com as agências mais reduzidas, o foco do nosso time precisa estar sempre direcionado ao atendimento e à produção das demandas dos clientes. 

No entanto sabemos que os processos de inovação de uma empresa geralmente acontecem de fora para dentro – quando somos provocados a ir além, a partir das evoluções do que acontece fora da agência. 

Por isso, a solução em que sempre acreditamos aqui na um.a foi investir em recursos exclusivos para esse fim. Concordamos que nossa área comercial esteja 100% ligada em nossos clientes, mas não podemos abrir mão de cuidar do relacionamento com nossos parceiros, de ouvir suas dores, desejos e, consequentemente, usufruir de seus conhecimentos e soluções.

“O papel fundamental da área de Processos & Parcerias (P&S) é se tornar ainda mais evidente dentro e fora da organização. Estamos transformando esse momento de crise em oportunidades. Com novos e atuais parceiros, buscamos soluções para atender à expectativa e às novas necessidades de nossos clientes. Assim, unimos forças e empatia para manter o caixa e ainda garantir a sustentabilidade dos negócios. Estamos vivendo uma era de reinvenção, e cada vez mais é importantíssimo envolver todos os stakeholders.”, afirma Alessandra Ribeiro, que lidera a área de Processos e Parcerias aqui na um.a. 

É com ela o nosso papo produtivo de hoje.  Alê, com longa experiência nas áreas de Atendimento e Produção de Projetos, agora se dedica a ouvir o mercado e trazer para dentro da agência boas práticas, bons fornecedores e bons parceiros, que podem e devem nos ajudar a atravessar este delicado momento em direção ao pós-crise.

Aqui na um.a essa é uma importante área de suporte ao negócio e também uma excelente oportunidade para que a agência possa seguir boas práticas de organização e gestão de processos.

Além disso, ajuda a melhorar a experiência do usuário para assegurar um fluido funcionamento das atividades internas, sejam elas operacionais, estratégicas ou administrativas.

Quando conseguimos manter a base de dados de nossos recursos atualizada, garantimos retornos rápidos e positivos para o negócio. Segundo a Alê, “Esta é uma base de dados com muitos e diferentes pontos a serem analisados. Na escolha e indicação de um fornecedor, por exemplo, claro que observamos comunicação, qualidade, pontualidade, comportamento, obrigações fiscais e questões de faturamento e preço, mas temos também que priorizar a integridade, o histórico e a capacidade produtiva do parceiro. Outro ponto em questão é a capacidade de flexibilidade do fornecedor, cujo resultado precisa ser sustentável para o parceiro, mas não pode prejudicar a competitividade da agência no mercado. Infelizmente, nestes tempos de crise, tem sido primordial também a análise da saúde financeira do fornecedor – e infelizmente temos nos deparado com muitas empresas com dívidas e atrasos que podem impactar diretamente suas entregas.”

Hoje o desafio de implantar um novo processo em uma organização é mais fácil. A tecnologia permite um trabalho coletivo de input de dados, o que facilita a vida e traz benefícios quase que imediatos para todos. 

No geral, tudo é muito simples – um layout de sistema com formulários padronizados e banco de dados abertos, alimentados e atualizados pelos próprios parceiros. 

As coisas começam a complicar um pouco mais quando temos que convencer e engajar o nosso time de colaboradores nesses avanços. Por segurança, ninguém gosta de mudar os seus hábitos – então é sempre um desafio propor algo novo ou diferente para um colaborador que tem feito boas entregas para os clientes.

“Atualmente, utilizo muito a tecnologia para automatizar essas informações.”, diz Alessandra. 

“Tento ser o mais objetiva possível, costumo resumir os bate-papos com os fornecedores para atrair o olhar do time comercial. Compartilho dicas, experiências, novidades e até mesmo frustrações, tudo para quebrar ciclos viciosos. O trabalho remoto está trazendo muita agilidade e aproximação com os parceiros. Temos reuniões com frequência e interações interessantes. Nesta semana, por exemplo, visitei um hotel na Bahia, sem sair de casa. Muito legal. E quando falamos em brindes, tão importantes neste momento para marcar a presença da marca e do cliente, esses processos agilizam na busca e na descoberta de várias opções de kits comestíveis, drinks e cervejas, aromas, itens tecnológicos e eletrônicos. Tudo para humanizar as relações e trazer mais conforto para que as pessoas possam seguir criando e produzido no home office.”

É isso aí pessoal, principalmente na crise, “Quem não é visto, não é lembrado”. Então, organize suas informações e aposte no poder de bons processos.

 

Foto: Reprodução.

Tags: artigo | ronaldo-bias-ferreira-jr