VAREJO

VAREJO

Troc abre loja física em SP

Troc abre loja física em SP

Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por


29 de Março de 2022

A TROC, startup de compras e vendas de peças usadas em ótimo estado, abriu nesta terça um espaço físico, agora fixo, em São Paulo, na Oscar Freire.

A shop in shop fica dentro da loja da Alme, também do grupo Arezzo&Co, onde já havia sido instalado um ponto de coleta para a TROCBAG.

Leia também: Amaro vira destino de marcas de lifestyle

A We Nutz, foodtech à base de plantas, instalou um café na mesma área. A unidade é a primeira fixa da marca, após experiências com pop-up stores em Curitiba e também na capital paulista, as duas no ano passado.

Além da Alme e We Nutz, a TROC fez uma parceria com a Bemglô, loja de produtos sustentáveis que fica ao lado do espaço físico da startup, para formar o que chamaram de Quadra Verde, no bairro dos Jardins.

A intenção é criar um hub de marcas que tenham seus negócios baseados em sustentabilidade na região, que é famosa por ser um forte polo de consumo.

A inauguração oficial do ponto físico teve um coquetel e oficinas de customização para os clientes e parceiros.

O espaço da TROC conta com 100 m², e também funciona como um ponto de recebimento e distribuição de TROCBAGS.

Para este ano, a TROC planeja abrir outras lojas no país.

“Esse é um movimento bastante estratégico para a companhia, tendo em vista que estamos com uma loja física em um dos principais polos econômicos do país. Em São Paulo se concentram, também, grande parte dos consumidores da TROC. Por isso, acreditamos que será uma grande experiência para o nosso negócio”, destaca Luanna Toniolo, CEO da TROC.

No ano passado, a flash pop-up em São Paulo, localizada no Shopping Morumbi, era focada nas vendas de fim de ano.

Devido ao sucesso da iniciativa, a TROC resolveu investir em uma loja física no estado que está entre as praças mais estratégicas para o negócio.

Isso ocorre pois, segundo um levantamento interno, 43% dos compradores da TROC estão localizados na capital paulista e 47% dos clientes que vendem suas peças para o brechó também.

Tags: sustentabilidade Moda startups arezzo troc foodtechs vestuario