AGÊNCIAS

AGÊNCIAS

Publicis encerra atividades na Rússia

Publicis encerra atividades na Rússia

Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por


16 de Março de 2022

O Publicis Groupe está se retirando da Rússia e passando a propriedade de suas agências para um administrador local, com efeito imediato.

Sergey Koptev, ex-presidente do conselho fundador da Publicis na Rússia, assumirá o comando das agências russas "com a condição contratual clara de garantir um futuro para os funcionários de lá", disse o Publicis Groupe.

Leia também: Beto Monteiro homenageia Ucrânia em seu carro na Stock Car

A decisão de parar de fazer negócios e encerrar seus investimentos na Rússia afeta 1.200 funcionários. Acredita-se que o Publicis Groupe era dono de suas operações de agência, em vez de ter uma joint venture com um parceiro local.

O Publicis Groupe é o terceiro dos grandes holdings de agências a cortar os laços com a Rússia, após a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro.

A WPP anunciou que iria encerrar suas operações de propriedade total na Rússia em 4 de março. A Interpublic, que tem joint ventures com parceiros locais e uma relação de afiliada para compra de mídia, suspendeu suas operações na Rússia no dia 14 de março.

Arthur Sadoun, diretor executivo e presidente do Publicis Groupe, disse que o grupo de agências francês não queria fazer um anúncio até que tivesse feito o melhor possível para proteger os interesses do pessoal local.

"Desde o início da invasão, temos trabalhado para sair da Rússia, pois condenamos fortemente a agressão unilateral contra a Ucrânia", disse Sadoun em uma declaração.

"Estávamos empenhados em tomar ações fortes que respondessem plenamente à gravidade da situação. Mas estávamos determinados a dedicar o tempo necessário para chegar a uma solução que fosse verdadeiramente humana - primeiro, porque nossos 1.200 funcionários na Rússia também são nosso povo.

"Não podíamos simplesmente abandoná-los. Ao ceder o controle de nossas operações russas a Sergey, estamos assegurando um caminho futuro para nossos colegas, enquanto interrompemos imediatamente todas as nossas operações, engajamento e investimento na Rússia".

Sadoun acrescentou que o Publicis Groupe está em "contato diário" com seus 350 funcionários ucranianos e "fazendo tudo o que é possível para apoiá-los" - "desde sistemas de alerta de segurança, até apoio psicológico e de saúde mental, para ajudar com vistos, ou garantindo salários para todos durante o ano inteiro", disse ele.

Sadoun divulgou um vídeo interno para os funcionários no qual ele falou sobre a difícil decisão de se separar da equipe na Rússia - alguns dos quais "estão há décadas conosco", declarou ele.

"É claro que eles não pediram por esta guerra. E eles estão realmente se preparando e suas famílias para o que serão dias sombrios. Portanto, sejamos claros: temos o dever de protegê-los e eu não estava pronto para abandoná-los com um breve e-mail e alguns rublos em compensação. Esses não são nossos valores", acrescentou.

A crise está "além dos negócios" e "além das fronteiras", finalizou ele.

Empresas holding de agências se juntaram a um número crescente de marcas que interromperam suas operações na Rússia, incluindo Coca-Cola, Pepsi, McDonald's e Starbucks, que fizeram uma pausa ou reduziram significativamente seus negócios na região, conforme foi informado pelo Promoview.

Tags: agencias publicis-groupe russia ucrania