Geral

Criadores de experiências: O profissional do futuro


3 de Junho de 2020

Estamos prontos para terminar o nosso período de home office forçado pelo Covid-19...

Mas como será este retorno?

Já nos questionamos bastante do ponto de vista dos custos que as empresas irão reavaliar a necessidade de ter um escritório próprio durante 365 dias do ano.

Será que valerá a pena pagar 12 parcelas de aluguel?  A produtividade do home office nos tempos de Covid levou a uma análise coletiva que talvez existam outras formas de ter um espaço corporativo...

Importante lembrar que a socialização no ambiente do escritório é fundamental para alguns tipos de negócios e para alguns perfis de pessoas. Mas existir um formato “híbrido”, mais econômico, mais racional, é totalmente possível na minha opinião.

E se formos analisar os ambientes de alimentação fora do lar, como isso fica?

Todo mundo tem um almoço e/ou um jantar “memorável” para contar não é mesmo?

Eu pedi a minha esposa em casamento em um restaurante charmoso na Velha Montreal...

Quando saímos para almoçar ao lado do escritório queremos nos alimentar ou socializar com a equipe ou clientes? Quando saímos para jantar queremos nos alimentar ou socializar com amigos ou familiares? Ou seja, é muito mais do que somente nos alimentarmos...

Do ponto de vista de modelo de negócio, as “dark kitchens” (cozinhas com foco 100% no delivery, e, portanto, sem um salão para atender clientes físicos) são uma alternativa bem inteligente e de acordo com os novos padrões e hábitos.

Porém, a experiência é um componente fundamental no modelo de alimentação fora do lar...

O mesmo conceito vale para eventos corporativos e feiras de negócios em geral....

Queremos nos atualizar, aprender, conhecer as novidades do setor?... Sim, com certeza. Mas isso aprendemos recentemente que podemos fazer em formatos virtuais facilmente....

Agora estamos fazendo, até em excesso... Levanta a mão aí quem esta “ZoomStressado”?

Queremos nos inspirar e nos emocionar?... Lógico! Quem não quer?

Neste caso podemos utilizar ferramentas virtuais ou presenciais... é uma questão de custos...

Dá para fazer uma convenção de vendas virtual? Sim lógico que dá... Mas além de apresentar o novo produto para a equipe como fazemos para tornar memorável?

Ah tá, ... podemos fazer uma live com aquela artista famosa... mas vai tornar memorável?

Eu acredito profundamente que nós humanos, gregários e sociais por natureza estamos predestinados e viver em sociedades e a socialização é um dos nossos grandes diferenciais.

Quem nunca teve vontade de estar na decisão de uma Copa do Mundo? Super Bowl? Ou então jantar no melhor restaurante do mundo ou daquele chef famoso?

Então este é o conceito do memorável, da experiência única, do inesquecível....

Temos que levar isso em conta quando estivermos “desenhando” um evento... Não tem jeito!

Os profissionais de eventos deveriam se classificar como “criadores de experiências” para fugir do estigma que uma boa logística faz um bom evento (faz com certeza, mas não é só isso!). Precisa do componente emocional... Emocionar é preciso!
 

 

Tags: artigo | Coronavírus | Covid-19 | isolamento social | mercado de trabalho | home office | P.O Almeida