LIVE MARKETING

LIVE MARKETING

Que lições ficam para os eventos após o SXSW 2022

Que lições ficam para os eventos após o SXSW 2022

Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por
); ?>


31 de Março de 2022

Eventos são encontros de comunidades. E a comunidade interessada em INOVAÇÃO e CRIATIVIDADE se reuniu a pouco tempo atrás em Austin/Texas. 

O SXSW foi o primeiro grande evento nos USA nesta fase final da pandemia. Não acontecia presencialmente desde 2019!
Voltou presencial e mais calmo. Digo isso, pois essa foi a percepção geral dos participantes.
Provavelmente com a metade da audiência presencial de 2019, mas agora adicionado da audiência virtual que acompanhou a distância pela 1ª vez. Um evento HÍBRID com certeza!

Leia também: Espaços PARA as Marcas x Espaços DAS Marcas

Para que organiza encontros de comunidades (você ainda chama isso de EVENTO?) ficaram vários aprendizados importantes e relevantes:
- Utilizar o KPI de quantas pessoas estiveram lá precisa ser atualizado: hoje não vale mais só divulgar quantos ESTIVERAM LÁ, mas também quantos PARTICIPARAM A DISTÂNCIA. É muito básico só divulgar a quantidade de pessoas. Precisa sim, demonstrar como foi o engajamento!


- Não é porque a pandemia está acabando que precisa falar de todos os assuntos: todo mundo conhece e sente F.O.M.O., mas fazer um evento de 10 dias com 15 tracks de conferências e 9 summits temáticos durante o evento, além de shows, filmes e festas é um desperdício de recursos e atenção. Os grandes eventos precisam saber modular a quantidade de atividades. Lembrando que é a RELEVÂNCIA o mais importante e não a QUANTIDADE de atividades. Chega-se a perguntar no caso do SXSW “QUAL É O ASSUNTO MESMO?”


- As marcas estão dispostas a investir em ativações para se diferenciar: devido ao grande período sem interação Face to Face, as marcas estão ávidas para realizar ações que gerem conexões emocionais através de formatos imersivos novamente (BOA NOTÍCIA). E com a tecnologia disponível hoje em dia isso é um “prato cheio” para criar estas oportunidades de interação. O show de 400 drones nos céus de Austin para divulgar a série HALO no Paramount+ obteve bom recall ao colocar um QR CODE gigante nos céus. Não é novidade, mas engaja! Aliás QR CODES são os novos clicks para interação marca x usuários. Viva a imagem!


- Conteúdo complementar dentro do conteúdo oferecido é bem-vindo: reforça o posicionamento. As “casas” dos países e outras cidades chamaram a atenção dos participantes: E isso é bem interessante, pois demonstra que os eventos presenciais são ótimas oportunidades de criar estes elos emocionais e comerciais. E lembrando que uma cidade qualquer que não é Austin participando em um evento em Austin para também dizer que é um polo de inovação é uma ação bem legal. Com muito orgulho a cidade de São Paulo estava presente em Austin mostrando expoentes da nossa economia criativa. Golaço! 


Se o SXSW “pecou” por alguns excessos e por mostrar novamente as 574 tendências da Oracula Amy Webb (ela é a única pessoa que pode fazer isso? Está parecendo show do Gun´s Roses no Rock In Rio, toda edição tem um kkkkk) com certeza ganhou pontos pela qualidade de alguns temas, pela visibilidade obtida e a coragem de ser o primeiro. Vida longa ao SXSW!

E para deixar bem claro: #somosgregários #eventospresenciaisforever, #colaboraçãoéanossapraia, #futurohíbridovirtual #eventosaoseguros #futuroseguro
Afinal o LIVE MARKETING não é para os fracos!

Tags: SXSW eventos melhores-da-semana festivais south-by-southwest