LIVE MARKETING

KPIs x Eventos


9 de Agosto de 2021

Eventos são encontros de comunidades. Serão híbridos/virtuais com certeza. Este “hibridismo” vai oferecer possibilidades de expansão das audiências e não será um substituto aos eventos presenciais. Será um complemento tecnológico muito útil.

Hoje vou fazer uma outra reflexão fundamental neste momento de retomada do setor. Grandes eventos atraem a atenção de todos. Audiências globais. 

A Olimpíada de Tóquio não foi diferente. Mesmo com todas as complicações, adiamentos, protocolos, atraiu os principais atletas e foi a atenção da mídia por um bom período. 

Mas o que me leva a falar da Olimpíada são os KPIs relacionados a ela. Key Product Indicators ou KPIs são índices de desempenho e o nosso, como sociedade em relação à Olimpíada de Tóquio é/foi, o número de conquista de medalhas. 

Tem um ranking, somos comparados com outros países, ouro vale mais. Enfim, uma típica atividade organizacional (medir o desempenho de algo) porém aplicada ao esporte.

Na minha visão, estamos utilizando os KPIs errados neste caso. Ao invés de medirmos o número de medalhas ganhas, deveríamos medir quantas pessoas atingiram o índice olímpico. 

Quanto maior a delegação, maior o nosso envolvimento da sociedade com os esportes. Deveríamos medir também em quantos esportes conseguimos enviar participantes.

Com os KPIs errados criamos estratégias e expectativas equivocadas. Simples assim!

E o que isso tem a ver com o mundo dos eventos ou do live marketing que é sempre o meu tema? Bom eu me explico... O setor de eventos B2B tem utilizado os KPIs errados na minha humilde opinião. 

Uma feira de negócios todos os anos crescendo 10% o seu público visitante. Isso é bom ou ruim? Corredores cheios né? A perspectiva da quantidade nos enganando exatamente igual à classificação do Brasil em Olimpíadas. Número de medalhas é o que importa não é mesmo?   

Errado...  Corredores lotados é que importa, certo?  Errado....

Os KPIs estão nos iludindo. Resultados superficiais visíveis. Notícias superficiais

O COB deveria se orgulhar de levar atletas para competir em todos os esportes em uma Olimpíada porque isso seria o resultado de uma política de longo prazo e não algo com visão imediatista. 

Organizadores de eventos B2B deveriam estar preocupados com a qualidade dos seus visitantes e convidados e não com a quantidade. Estão lá para realmente comprar algo ou para “catar um brinde”. Vamos só levar atletas que podem ganhar medalhas? Qual é o KPI que vale a pena ser monitorado? Vamos ficar na superficialidade dos números ou vamos fazer algo que realmente tenha propósito? 

Fica aqui a reflexão e me diga o que você acha.....

Para deixar bem claro: #somosgregários #eventospresenciaisforever, #colaboraçãoéanossapraia, #futurohíbridovirtual

Afinal o live marketing não é para os fracos!

Tags: artigo | live-marketing | eventos | paulo-octavio-pereira-de-almeida