LIVE MARKETING

A economia da atenção: 2 passos


15 de Março de 2021

Eventos são encontros de comunidades. Serão híbridos em um futuro próximo (pós-pandemia com certeza). Este “hibridismo” vai oferecer possibilidade de expansão das audiências e não será um substituto aos eventos presenciais

Somos humanos, e ficar o dia todo olhando uma tela não é o desejo de muitos (de todos?). Porém, vamos precisar de uma infraestrutura bem decente para que este mundo híbrido se realize. 

Venues, hotéis, escritórios se transformando em espaços de interação e geração de conteúdo. Com muito streaming, muito 5G e muita gamificação chegaremos lá. Pode acreditar. Eu acredito!

Ou seja este é o 1º passo. Vou chamar de “Imperativo digital”

Sem esta mentalidade digitalizada será muito difícil qualquer negócio obter escalabilidade. Ok. A barraca de pastel na feira vai sempre existir. Mas negócios podem e devem obter escala. 

Esta é a nova regra do jogo nestes momentos que vivemos. E isso não tem nenhuma relação com a pandemia, pois é uma megatendência que vem ocorrendo desde que inventaram o chip e a internet (estes sim, dois motivos de uma nova revolução industrial). Não dá para fugir disso!

Porém, existe um 2º passo. Eu gosto desta definição “Economia da atenção”

Alguns se referem a estes novos tempos como Era da Informação, do Conhecimento... tem várias definições por aí. São todas ótimas. Mas quando falamos em atenção, tem uma reflexão que vale a pena conversarmos a respeito....

Ok. Você não é o dono(a) da barraca de pastel na feira. Já atua em um negócio que tem ERP e ele está conectado a um super CRM. Não entendeu?

Sim entendeu, sim.... É um negócio já “digitalizado” e você está buscando a escalabilidade...perfeito. É por aí...

Mas e se todos estiverem fazendo isso? (Seus concorrentes, inclusive). Como fica a atenção das pessoas ao que você está falando? Pensa em todas as lives que você deixou de assistir no meio da transmissão. Estava chata? Era irrelevante? Não sei, mas sei que você saiu....

A quantidade de “data lakes” (Onde você vai buscar informações) aumentou exponencialmente. Se o Facebook levou 852 dias para atingir 10 milhões de usuários, o Clubhouse levou menos de 300 dias para atingir esta quantidade (Valeu Elon Musk!).

É tudo muito rápido hoje. Live analytics no seu dashboard. Como conseguir atenção?

Eis a questão fundamental. Eu acredito que sem relevância não irás a nenhum lugar.

Não existe mais “receita de bolo”. Agora é DDOM (Data Driven operating Model).

O que chama a atenção hoje pode não chamar mais amanhã cedo. Assustador? Eu acho...

Mas se estamos vivendo (já?) uma exaustão dos modelos virtuais a minha dica é observe o fator humano. Alguns chamam isso de experiência! Imersão nos 5 sentidos. É por aí....

Para deixar claro, somos gregários, #eventospresenciaisforever. 

Afinal, o live marketing não é para os fracos!

Tags: artigo | live-marketing | melhores-da-semana | Paulo-Octavio-Almeida