varejo

Cliente no pódio


3 de Agosto de 2021

Em Tóquio, atletas do mundo todo dão o melhor de si na corrida pelas medalhas olímpicas. Eles passaram anos treinando para isso, e o que vemos pela TV ou pela internet é resultado desse trabalho árduo. 

Acompanhar os Jogos à distância, aliás, é a regra predominante no contexto atual de pandemia, o que não significa uma mudança para a maioria dos fãs de esportes, uma vez que assistir às disputas in loco já era privilégio de um número limitado de pessoas.

De qualquer forma, ser espectador “de sofá” é uma diversão muito aguardada para esse período de um dos maiores acontecimentos esportivos do planeta. 

Outro hábito tradicional para estes dias de Olimpíadas é o de providenciar petiscos e bebidas que incrementem a torcida. Por sinal, pode-se dizer que, mais do que em edições anteriores dos Jogos, esses pedidos devem ser feitos também a partir da comodidade do lar.

Não se trata de novidade utilizar um evento dessa magnitude para potencializar os negócios. Com o avanço do varejo on-line, fomentado pelas circunstâncias do Covid-19, a ocasião se torna uma mina de ouro – tão reluzente quanto as medalhas mais cobiçadas pelos esportistas – para alavancar o desempenho do e-commerce. Especialmente o de produtos cujo consumo seja intensificado nestes momentos, caso do de Groceries & Drinks. 

A pesquisa Behup “Olimpíadas 2021”, conduzida pelo setor de negócios da Rede Globo, apontou que 41% dos entrevistados pretendem comprar alimentos e bebidas para consumir ao longo das transmissões.

Porém, atingir excelentes resultados no atendimento dessa demanda não é algo que se desenvolve do dia para a noite. Seria como exigir que um atleta olímpico deixasse para treinar somente às vésperas da competição: Dificilmente ele conquistaria um lugar no pódio. O mesmo raciocínio vale para o comércio eletrônico.

Pensar em ações de última hora, que não estejam embasadas por um olhar estratégico prévio, pode ser um caminho para mais dores de cabeça do que benefícios. 

Afinal, uma iniciativa pontual de incremento de vendas requer todo um background preparatório para assegurar a satisfação do cliente ao longo de toda a sua jornada. 

Oferecer uma experiência mal arquitetada prejudica a imagem da marca em vez de fortalecê-la e faz com que o usuário não volte àquele e-commerce para uma próxima compra.

Diversas modalidades

Existem inúmeras opções quando se fala de práticas de comercialização on-line que pegam carona em um grande evento, desde promoções-relâmpago até hotsites temáticos.  

Porém, essas atividades precisam estar alinhadas com uma série de frentes operacionais da empresa – como a de logística e checkout/pagamentos, além de se integrarem ao fluxo de experiências do consumidor na plataforma de e-commerce do negócio.

Por sinal, falando de plataforma, ela precisa ter flexibilidade suficiente para suportar recursos e melhorias estratégicas sem comprometer a navegação do consumidor. 

Este quer comodidade, segurança e praticidade na hora da compra, ainda mais em se tratando de uma aquisição feita para um combo de divertimento, emoção e até confraternização – como ao convidar um(a) amigo(a) ou namorada(o) para assistirem juntos a uma partida de vôlei ainda que em horários alternativos, sem aglomerações. 

Estresse definitivamente não combina com esse pacote, seja na hora de adicionar itens a um carrinho, seja na etapa de realizar o pagamento.

A agilidade desses procedimentos depende muito do projeto da plataforma. Seu desenvolvedor precisa entender a fundo as necessidades do cliente e antever, em parceria com ele, oportunidades de escalabilidade do negócio e de expansão da marca.

Aliás, é exatamente esse o ponto quando se trata de Olimpíadas. É uma grande chance de se conectar com o consumidor, e são muitas as maneiras de atingir essa meta. 

Uma delas, que costuma ser bastante efetiva, é a da personalização como experiência de fidelização. Para explorar esse campo de possibilidades, a empresa pode criar campanhas e até produtos temáticos, promovendo “clusters” que embarquem na onda dos Jogos. 

Que tal um kit de comes e bebes especialmente montado para acompanhar as disputas – e vendido em uma área especial do site da empresa ou com entrega no mesmo dia para regiões predeterminadas?

As Olimpíadas em geral constituem o ápice das carreiras dos atletas. Como já salientei, eles dedicam muito tempo de suas jornadas para chegarem preparados para a ocasião. 

O evento pode ser também um ponto alto na trajetória de uma marca. Mas, para isso, ela precisa se preparar bem e se cercar de muito apoio profissional no desenvolvimento de estratégias de sucesso para fazer bonito na hora decisiva. Caso contrário, poderá ver o ouro que estava ao alcance das mãos escorregar entre os dedos.

Tags: artigo | varejo | caio-camarini