Shopping

Shopping centers: O desafio de manter a atratividade


23 de Setembro de 2020

Tenho acompanhado a triste movimentação de lojistas nos shopping centers que vêm enfrentando sérias dificuldades, e, em muitos casos, fechando as portas.

Por outro lado, me surpreendi com a abertura de mais uma loja Mimoo no SPMarket, um shopping da Zona Sul de São Paulo. 

O curioso aqui é entender como uma loja bem diferente e fora dos padrões, na qual todos os produtos são gratuitos, se torna uma opção para o mix de shopping centers.

Criada para ajudar a indústria a fazer live marketing com experimentação e evitar o desperdício da produção, a Mimoo Grátis tem por objetivo ser uma atração para o consumidor que frequenta shopping e demanda constantemente pela oferta de novidades. 

Por meio da entrega de produtos para experimentação, a novidade promete ser um novo canal de comunicação entre os grandes players da indústria de bens de consumo e o cliente final.

Acende aqui uma luz, mostrando que a tendência do Direct to consumer (Direto ao consumidor: DTC ou D2C) é uma estratégia de negócio que vem sendo utilizada pela indústria com diferentes formatos. 

Além de vender seus produtos por lojas independentes, as manufaturas vêm criando canais físicos ou digitais para chegar ao cliente sem intermediários.

O objetivo é conhecer em primeira mão os gostos, desejos e insatisfações de quem compra itens da marca para aprimorar os lançamentos e o relacionamento com os fãs da marca. 

Essa é a tradução prática e real de um dos mandamentos da gestão contemporânea: Colocar o cliente no centro das decisões e ouvi-lo de verdade.

Investir em ambientes controlados para poder contar a história da sua marca é uma boa opção para a indústria e acaba sendo uma oportunidade de levar uma experiência para o espaço dos shopping centers.

Outros exemplos que apontam essa tendência foi a inauguração da loja Lego no MorumbiShopping e da expansão da loja KitKat, agora em formato de quiosques.

Com esse mindset de inovação e esperança, o varejo e os shopping centers vão se reinventando com criatividade, inovação e propósito.

Entretenimento, experimentação, alimentação e serviços ainda seguem firmes para o consumidor, que por essência precisa se socializar e conviver no mundo físico. Esses valores ficaram mais acentuados após esse período de distanciamento social.

Enquanto isso, as vendas on-line ultrapassam fronteiras, e a exemplo do Iguatemi 365, que anunciou a chegada em Salvador, de forma totalmente on-line, deixando claro que o crescimento dos shopping centers vai acontecer também de forma exponencial, sem a necessidade de uma delimitação física predeterminada.

Bem vindos a novas experiências!

 

Tags: artigo | varejo | Marcia Saad | ponto de venda | shopping center | atratividade nos shopping | crise nos shopping centers