BRAND EXPERIENCE

Caixa quer ouvir o mercado para licitar Promo


10 de Abril de 2018

Em comunicado ao mercado, a Caixa anunciou esta semana o início de uma consulta pública digital para definição do termo de referência que irá compor o edital de licitação para contratação de agência de marketing promocional.

O comunicado é assinado por Simone Soares Dias, gerente-executiva da Superintendência de Promoções e Eventos. Esta publicação sinaliza para as próximas semanas a abertura do processo de licitação, cuja verba é estimada em R$ 150 milhões para cinco anos de contrato.

Eu acessei o documento e minha avaliação é positiva, especialmente pela questão da remuneração pelo aspecto técnico, uma bandeira do nosso setor que há anos vem sendo defendida junto à Secom. Um aspecto que me preocupou - apesar de constituir um considerável aumento na remuneração - é no que diz respeito à boa execução do planejamento e inteligência, que pode virar um grande problema no dia a dia, dado o dinamismo da atividade.

Um ponto polêmico não fica claro no termo apresentado: o pagamento ou ressarcimento de despesas por nota de débito. O formato continua sendo praticado pelo Banco e onera significativamente a questão tributária, além de colocar em relativo risco as agências por não estar dentro da legislação vigente. Procurei a Caixa, mas ninguém quis se pronunciar.

Ao meu ver, a consulta procura, entre outros aspectos, aprimorar o desenvolvimento das ativações da marca mas também minimizar ações que tornam mais lento o processo como a tentativa de impugnação e os recursos sobre as notas recebidas.

O prazo final para apresentação de sugestões encerra à zero hora do dia 9 de abril. A previsão para abertura do processo é meados de maio e creio que a divulgação do resultado deverá ser no mês de agosto.

Se você quiser mais informações pode fazer contato pelo e-mail supen08@caixa.gov.br ou pelos fones (61) 3206 6553 /3206 4875.

Para acessar a íntegra deste documento clique aqui.  

Tags: artigo | Julio Feijó