Geral

Motivação é um mito


11 de Fevereiro de 2020

Estamos inseridos em uma indústria construída em cima de produtos palpáveis, bens de consumo não duráveis e feitos em larga escala, que valoriza o menor preço.

Motivação, não é mais um estado de espírito, é uma trajetória de vida com consequências emocionais e comportamentais, interferindo positivamente ou negativamente, nas relações sociais, na vida acadêmica, no desempenho da atividade profissional.

A motivação, ainda que seja invariavelmente um tema quase sempre associado em tudo que move o comportamento humano, banalizou, virou sinônimo de estímulo. 

No entanto, independentemente das críticas e controvérsias, o estudo do conceito da motivação se baseia em fatores psicológicos, daí a importância de se estudar a motivação nos seus principais propósitos nas suas necessidades básicas, autoestima, realização pessoal, e necessidades fisiológicas.

Em outubro de 2019, quando lancei a segunda edição do livro Marketing Motivacional 100% atualizado, a aceitação e o retorno foram imediatos, dezenas de e-mails diários com consultas, críticas, elogios, e muitas vendas, acima do esperado. 

Na minha vida pessoal e profissional nunca deixei de considerar e respeitar qualquer opinião sobre o meu trabalho, assim, até para justificar o porquê do título deste artigo, vou apenas me concentrar na crítica, uma vez que elogios da própria boca não são muito éticos.

Uma das críticas dizia: “Que a motivação era uma falácia, um mito sem sentido, considerando que a motivação era uma forma de troca, ela não era perene, portanto, a motivação era uma consequência direta de um resultado. 

As colocações do leitor podem até ter um pouco de pertinência, porém, as suas críticas têm um sentido inverso.

A motivação não depende somente de estímulos, de incentivos, mas da própria vontade, e aí ela pode ser associada a uma construção múltipla de interesses e objetivos.

A motivação é um processo complexo, desafiador e necessário para o Ser humano, um processo que envolve fenômenos emocionais, biológicos, tanto no âmbito das organizações, quanto no mercado, na vida pessoal, na comunicação.

Caro leitor não pode confundir a motivação e estímulo, eles representam um fator intrínseco, a motivação está dentro de nós, ela é interna duradoura, e, principalmente, associada aos fatores comportamentais. 

O estímulo é uma consequência que está diretamente relacionado a um desejo, a uma ação, a um objetivo estimulado por um resultado, por uma realização, o estímulo a recompensa. 

Neste cenário, podemos considerar que a vontade e o reconhecimento, geram um comprometimento, um desejo de dar um sentido àquilo que queremos ou desejamos. 

Portanto, motivação é um estado concreto, autoadministrável, um recurso natural, uma tecnologia de motivação que precisa ser alimentada, influenciada, administrada, e, principalmente, saber o que fazer com ela. 

Para isso, devemos estimular os motivadores apoiados em estímulos, desafios, um elemento transformador nas relações pessoais e profissionais, na vida, nas mudanças comportamentais, nas crenças e valores. 

Motivação é um elemento transformador nas relações pessoais e profissionais, na vida, nas mudanças

Amigo leitor, o mais importante, a verdadeira motivação só é efetivamente conseguida quando associada à realização pessoal, quando nos sentimos gratificados por realizar nossas necessidades e objetivos pessoais e profissionais. 

Pode até ser uma troca, com uma única diferença, a motivação é o resultado interativo entre o propósito, a situação e o ator, no caso, você, o Ser humano.

Estar motivado é sentir-se bem com aquilo que é realizado: o prazer é obtido na atividade, na realização.

Tags: artigo | edmundo-monteiro | marketing-de-incentivo