shopping

Shopping centers: É hora de começar a sonhar de novo


5 de Setembro de 2021

Com o avanço do calendário de vacinação e o vislumbre de uma queda de casos, tenho observado uma mentalidade mais positiva do consumidor e dos varejistas acenando para um cenário mais leve e feliz com a expectativa da volta dos eventos, festas e confraternizações.

O momento da exteriorização dos sentimentos leva o público para o ambiente dos shopping centers e com isso o setor começa a respirar um pouco mais aliviado. 

A pandemia obrigou os consumidores a mudarem suas expectativas de uma forma muito rápida, jamais vista em qualquer outro momento histórico.

Muitos deles estão utilizando esse novo mindset para definir onde, o que e como compram. A recente pesquisa da Accenture com mais de 25.000 consumidores em 22 países, com grupos de discussão de acompanhamento em cinco países aponta para isso. 

Esses consumidores - chamados de “Reimagined” - estão mudando seus hábitos de compra nos 14 setores abordados na pesquisa.

Ricardo Pastore, coordenador e professor do Núcleo de Varejo da ESPM e doutor em Varejo Omnichannel, acrescenta: “Novos recursos tecnológicos foram colocados à disposição de consumidores que tiveram que enfrentar quarentena, distanciamento social e outros desdobramentos da pandemia. Com isso, houve um empoderamento do consumidor que obriga iniciativas para da mesma forma, empoderar as equipes de atendimento que atuam no varejo. Porém, tudo começa com mudanças no mindset! O seu time está preparado?”

Boas oportunidades podem surgir para as empresas que conseguirem redefinir estratégias e implantar novos padrões para atender e superar essas expectativas trazendo experiência e inovação.

Nesse sentido, a liderança e a gestão dessas equipes que estão à frente dos shopping centers e varejo vão precisar desenvolver uma gama de características e habilidades que ultrapassam a competência técnica para atender esse novo comportamento de consumo.

Em janeiro de 2020, o Fórum Econômico Mundial com a colaboração da Accenture (Nyse: ACN), já tinha identificado em um estudo, a necessidade de se adotar o modelo baseado nos cinco elementos da liderança responsável: Inclusão de partes interessadas, Emoção e Intuição, Propósito e Missão, Tecnologia e Inovação, Intelecto e Conhecimento.

Agora, imaginem só, depois desse período atribulado e inusitado que o varejo tem passado, se essa necessidade não se tornou uma urgência?

Precisamos trazer para essa equipe de linha de frente o conhecimento de ferramentas que as ajudem a buscar equilíbrio e consigam se traduzir.

De acordo com Márcia Rostheuser, pós-graduada em Psicologia e especialista em varejo atuando há mais de 20 anos no mercado: “Faz -se urgente olhar para o profissional no centro do desenvolvimento das organizações, mapeando oportunidades e pontos a desenvolver, através de um autoconhecimento profundo, e, assim, acolher as diferenças intergeracionais e oportunizar as diferenças.”- diz ela, que também está como professora do curso Empoderamento de gestores no varejo pós-pandemia, na ESPM.

Jovens líderes em todo o mundo estão desafiando as normas de liderança, trazendo suas próprias experiências e históricos diversos para moldar e informar como eles lideram com responsabilidade em tempos excepcionalmente desafiadores.

Assim, o novo conceito de liderança abre espaço para cada profissional construir o seu estilo de liderança com autenticidade e inovação alcançando resultados positivos para si, para sua equipe, seu negócio e para a sociedade.

Seja um líder consciente e assuma esse protagonismo!

 

Foto: Reprodução.

Tags: artigo | marcia-saad | shopping-center