FEIRAS DE NEGÓCIOS

A vacina e as feiras e eventos de negócios


30 de Janeiro de 2021

Pré-requisito para participar de um evento de negócios doravante: Estar vacinado. Mundo afora e Brasil adentro plataformas de inscrição que exigirão comprovação da vacina serão cada vez mais comuns.

Essas mesmas plataformas poderão abrigar uma variável que será opção para quem ainda não estiver vacinado: A comprovação de um teste PCR com no máximo 72 horas de antecedência.

Para complementar, a manutenção dos protocolos de utilização obrigatória de máscaras, álcool gel e distanciamento deverão se manter.

Com esses procedimentos poderemos voltar a realizar eventos de negócios que levem em consideração a necessidade de escalar gradualmente a quantidade de participantes.

Para escalar gradualmente, devemos ter em conta um ensinamento antigo e consolidado que nos deixou Wilfried Fritz Pareto, cientista político, sociólogo e economista, nascido francês e se tornado italiano por escolha e então renomeado como Vilfredo Pareto: “Cerca de 80% dos resultados são provenientes de 20% dos esforços empregados.”, o  que, na economia, costuma se traduzir pela máxima de que 80% dos seus melhores negócios são provenientes de cerca de 20% dos seus clientes.

Assim, devemos considerar que para os eventos previstos para um horizonte próximo precisamos selecionar os participantes de modo assertivo. 

Para uma feira, os 20% melhores expositores e para os visitantes os 20% melhores compradores destes 20% expositores. Simples assim.

Difícil de executar? Claro que é difícil. E por acaso é fácil não ter eventos? E por acaso é fácil realizar um evento e não ter resultados?

Ainda que não seja fácil, este deve ser o objetivo para o momento. Não podemos simplesmente imaginar que poderemos voltar ao normal de antes da pandemia como se nada estivesse acontecendo. 

O que precisamos é entender como promover eventos que tragam resultados positivos para todos os participantes e aprender a utilizar adequadamente o meio digital após a realização dos eventos presenciais para ampliar a visibilidade e a geração de oportunidades de negócios para todos aqueles que pagaram as contas e que viabilizaram a realização dos eventos.

Dá para fazer. Internamente, nas empresas promotoras iremos precisar rever a estrutura, as competências das equipes, o tamanho da equipe, o foco no essencial e a habilidade de gerenciar orçamentos mais modestos.  

Isso precisa acontecer simultaneamente com uma integração da cadeia de valor dos eventos de negócios. Centros de eventos, montadores e demais fornecedores terão de rever suas margens e oferecer condições mais acessíveis que possam viabilizar a retomada.

A pandemia uniu esse setor de uma forma jamais vista, o que torna possível vislumbrar a viabilidade dessa integração acontecer de fato e a mudança de postura ocorrer.

Assim, voltar a crescer com mais qualidade, contribuindo com a economia e com a segurança sanitária porque, efetivamente, para nós que realizamos eventos, esse é o nosso propósito, essa é a nossa razão de existir. 

Voltando ao nosso amigo Pareto, cuja primeira observação que ensejou sua teoria, foi a percepção de que 80% das ervilhas colhidas em sua horta vinham de cerca de 20% das vagens plantadas.

Eu pergunto a você leitor: Adianta você encher um evento de negócios com ervilhas murchas? 

 

Tags: artigo | feiras-de-negócios | mercado-de-eventos | Fernando-Lummertz