Esta página pode utilizar cookies.

Um grupo de 120 crianças de escolas municipais de Guaratinguetá (SP) foi impedido de entrar no local.

Um dos episódios mais tristes da última semana foi o caso das crianças das escolas públicas municipais de Guaratinguetá que foram barradas no Shopping JK Iguatemi.

Notícias sobre shopping aqui.

Cerca de 120 alunos e os professores que os acompanhavam foram visitar a exposição Mickey 90 anos, mas uma funcionária no local travou a entrada com a justificativa que o local era “de elite”.

As diretoras dos colégios consideraram a atitude como mais um caso de racismo e discriminação. Depois de muita insistência, as crianças foram liberadas para comer na praça de alimentação. Se a ideia era aproximar os alunos do fantástico mundo da Disney, dois publicitários, mexidos com a história, resolveram ajudar.

Edgard Vidal e Wilson Dias criaram a campanha “De Guaratinguetá para a Disney”. Sim, é isso mesmo. A dupla criou um catarse para levar as 120 crianças barradas no shopping para Orlando, nos Estados Unidos.

A incrível atitude da dupla é um grande desafio, afinal, precisam arrecadar pouco mais de R$ 1 milhão para o plano dar certo.

“Quando portas se fecham, outras se abrem” é o tema da campanha.  “A gente teve a ideia do projeto no dia 21 de março. Fomos almoçar no shopping, inclusive, e estávamos comentando sobre o fato que aconteceu. Tivemos a ideia de levar as crianças para conhecer o verdadeiro Mickey. Como o Walt Disney disse, todo mundo é bem-vindo, diferente do shopping, restrito apenas para uma parte da população.”, disse Edgard Vidal.

O publicitário também lembrou outro fator importante da campanha. “Vimos também que a visita era uma premiação pelo bom desempenho escolar das crianças. E claramente elas não tiveram uma premiação. A gente quer dar a oportunidade deles curtirem e verem que quando se estuda e faz tudo certo, você é recompensado.”, completou.

Procon-SP

A Fundação Procon-SP notificou o Shopping JK Iguatemi, em São Paulo, sobre o episódio em que crianças de escolas públicas de Guaratinguetá, foram impedidas de entrar no local.

A equipe de fiscalização do Procon-SP esteve no local no dia 22 de março, para entregar a notificação e encontrou outras irregularidades na exposição.

Segundo a Fundação, o alvará de funcionamento e o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros não estavam expostos na entrada do evento e em um escorregador da mostra não havia informação sobre a data da última vistoria técnica, próxima manutenção, riscos inerentes à utilização e condições de uso.

Os organizadores da exposição "Mickey 90 anos" afirmam que possuem toda a documentação necessária para perfeito funcionamento e que todas as demais exigências serão acatadas.

A ONG Orientavida, responsável pela mostra, diz que viabilizou um novo passeio de toda a turma para viver a experiência mágica que a exposição se propõe.

Funcionária Demitida

A funcionária que barrou a entrada dos alunos foi demitida, segundo informou a ONG Orientavidam responsável pela trabalhadora, que era terceirizada pelo shopping.

Em nota, o JK Iguatemi disse que solicitou à ONG que reforce seu treinamento com a equipe de funcionários e que não compactua com a atitude.