Esta página pode utilizar cookies.

O Bunker Festival promete agitar o Riocentro no dia 25 de agosto. O evento é organizado por seis grandes produtoras do Rio, que são responsáveis pelas marcas Euphoria, Fosfobox, Privilège, Rap Soul, Rio Me e Revolution Party.

“Nosso time é composto por produtores de eventos muito expressivos e conceituados no cenário de entretenimento da noite carioca. Com essa união, buscamos unir as nossas experiências para proporcionar ao público uma noite inesquecível.”, diz Cabbet Araújo, diz o fundador da label Bunker, originada nos finais dos anos 90.

O Bunker Festival espera receber pessoas de diferentes grupos e gerações, que acompanham ou não a história da Bunker desde 1998. O tema do evento, "Somos todos iguais", retrata a diversidade de estilos e ideias por meio de suas atrações, compostas por expoentes nacionais e internacionais, sendo alguns inéditos no País.

Entre os nomes que sobem aos palcos, estão os israelenses Erez Eizen e Amit Duvdevani, ou Infected Mushroom, precursores e ícones do trance. A live band portuguesa Paranormal Attack e os artistas alemães D-Nox, de tech-house, e Querox, do progressive trance, além do DJ holandês Kolombo, prometem levar o público ao delírio.

Integram ainda o line-up do evento, o renomado DJ e produtor Gabriel Boni, que toca brazilian bass, e o dueto Mau Mau vs. Anderson Noise, pioneiros do house e techno no País que estão comemorando juntos 30 anos de estrada. Além deles, referências de rap e hip-hop brasileiro, como o grupo 3030, DJ Cia e KL Jay, um dos criadores do Racionais MCs.

A banda de rock 13.7, de Chicão, filho de Cassia Eller, que convida a cantora Duda Brack, também é destaque entre as atrações nacionais do evento.

A rainha da cena eletrônica LGBT, a inglesa Sharon O'Love, vai se apresentar pela primeira vez no Brasil. Outro ícone do estilo, a atriz, cantora, compositora e ativista transexual brasileira Linn da Quebrada promete levantar o público com o melhor do pop e do funk carioca.