Esta página pode utilizar cookies.

A oitava Virada Cultural de São Paulo vai ocupar, pela primeira vez, as pistas do Elevado Costa e Silva, o Minhocão, na região central. O espaço já é área de lazer nos fins de semana, mas nesta edição, que será realizada nos dias 05 e 06/05, vai virar um grande salão de restaurante. Haverá um encontro de chefs de cozinha que venderão seus sofisticados pratos por preços populares, entre R$ 5,00 e R$ 15,00. [caption id="attachment_187846" align="aligncenter" width="560" caption="Minhocão vai se transformar em um grande restaurante na Virada Cultural de São Paulo."][/caption] A região da Luz entrou na rota de eventos desta virada, anunciou na última sexta-feira (13/05), o diretor de Programação, José Mauro Gnaspini. Das dez pistas de dança do evento, uma delas será na Rua Helvétia, conhecida por ter concentrado por anos centenas de viciados em crack, antes da deflagração da Operação Centro Legal, em 03/01. "Há um público da virada que é desbravador, e essas pessoas são convidadas a comparecer às atrações nessa região", disse o secretário municipal de Cultura, Carlos Augusto Calil. Outro destaque da programação é o Palco Elis Regina, que será montado no Bulevar São João. Por ali, 16 cantoras da noite paulistana vão interpretar os discos de umas das mais importantes intérpretes brasileiras, que morreu há 30 anos. Seus filhos, Maria Rita e Pedro Mariano, não se apresentarão. "A grande protagonista da noite tem de ser a Elis, por isso, chamamos cantoras jovens", disse Gnaspini. A exceção será Jair Rodrigues, que se apresenta às 18h de domingo (06/05). Na Praça Júlio Prestes, palco de música africana e de países caribenhos, Gilberto Gil encerra a Virada Cultural, às 18h de domingo. Os palcos da Avenida São João e Alameda Barão de Limeira vão concentrar os shows de rock, e o do Largo São Francisco, as rodas de samba. Um cabaré a céu aberto será montado na frente do Edifício Copan. Ali vão se apresentar artistas como Gretchen e Rita Cadillac. O Teatro Municipal volta à Virada, depois de dois anos fora do evento. Desta vez, ingressos para ver artistas como Cauby Peixoto, Ângela Maria e Arnaldo Baptista poderão ser retirados em 40 pontos espalhados pela cidade a partir do dia 24/04, para que filas em volta do teatro não sejam formadas nos dias de shows. A Praça da Sé passa a receber os shows de comediantes. Todas as unidades do Sesc também vão participar da Virada Cultural. As unidades que já têm peças em cartaz mantêm a programação, que passa a ser gratuita no evento. Na área do audiovisual, destaque para a programação da Galeria Olido, que exibe filmes com Gene Kelly - que completaria 100 anos se estivesse vivo - e para O Cine Windsor, que trará a mostra Boca do Lixo. Para o presidente da São Paulo Turismo (SPTuris), Marcelo Rehder, o número de turistas que vêm a São Paulo para prestigiar o evento deverá ultrapassar os 300 mil do ano passado. O coronel da Polícia Militar Marcelo Prado informou que dois mil homens e 200 viaturas farão a segurança das cerca de quatro milhões de pessoas esperadas para o evento. No ano passado, o efetivo policial foi de 1.800 homens. Fonte: Jornal O Estado de S. Paulo.