Esta página pode utilizar cookies.

O Santos estampa a ONG Missão África na omoplata (em cima do peito) do uniforme para as partidas contra Palmeiras (19/07) e Flamengo (22/07), pelo Campeonato Brasileiro.

O Peixe ainda doará R$ 1,00 por público presente nos jogos (se o público total for de 30 mil, por exemplo, R$ 30 mil serão transferidos). O clássico contra o Palmeiras foi no Pacaembu na noite de 19 de julho, reuniu um público de quase 24 mil pessoas.

A ação humanitária foi motivada por uma foto de João Chico, uma criança de seis anos de idade da comunidade de Nhahminjale, no Moçambique.

A embaixadora Rafaella Kalimann fez a fotografia e ela repercutiu pelas redes sociais. O garoto tinha a camisa do alvinegro e uma bola de retalhos.

“A foto do menino africano com a camisa do Santos tocou a todos. Idealizamos uma ação que fosse efetiva em prol do trabalho da ONG Missão África que, além de darmos visibilidade à causa em dois grandes confrontos contra Palmeiras e Flamengo, mobilizasse a torcida para que tenhamos a maior doação financeira possível. O Santos Futebol Clube parou uma guerra na África. Em um continente tão simbólico e importante em nossa gloriosa história, tínhamos a obrigação de valorizar este grande gesto partindo do jovem João Chico.”, disse o presidente José Carlos Peres.

“Contamos com nossa torcida, seja comparecendo nos dois jogos, seja em doações diretas para a Missão África que divulgaremos em nossas redes. Com estas diversas ações programadas para dois grandes jogos, pretendemos colaborar com exposição da marca e incentivos financeiros para que suas ações no continente africano sejam fortalecidas, sempre traçando um paralelo importante com a força de nossa torcida presente no estádio.”, declarou Marcelo Frazão, executivo de marketing.

Além do “patrocínio” e da doação, o Santos estampou uma faixa da ONG antes e no intervalo dos jogos, bem como um vídeo do trabalho da Missão África no telão.