Esta página pode utilizar cookies.

Seguros Unimed leva programa de reciclagem ao metrô

A partir de hoje (25/10), as estações Paraíso e Consolação do metrô de São Paulo colocam à disposição da população máquinas coletoras de cartões, uma iniciativa da Seguros Unimed. O objetivo das máquinas, desenvolvidas pela empresa RS de Paula, é estimular o descarte correto e seguro de cartões de débito, crédito, fidelidade, seguro saúde, cartões-presentes, entre outros. As estações coletoras possuem um sistema que permite que a própria pessoa gire uma manivela e veja seus cartões e dados sendo cortados. Além disso, elas também possuem um marcador que contabiliza quantos cartões foram destruídos e é capaz de cortar os cartões em pontos estratégicos, inutilizando tarjas magnéticas e chips, preservando a segurança dos usuários. Seu acionamento é manual, para economizar energia elétrica e facilitar a instalação. O material coletado será reaproveitado na confecção de novos cartões e de outros produtos, tais como capas de caderno, crachás e réguas. A manutenção do processo e o destino adequado dos resíduos serão de responsabilidade da RS de Paula. As estações coletoras integram a segunda fase do "Projeto Reciclo da Seguros Unimed", por meio do qual clientes descartam carteirinhas do seguro saúde para reciclagem nas urnas enviadas pela companhia. Desde a semana passada, colaboradores da Seguros Unimed também têm acesso a uma máquina coletora instalada no hall térreo da matriz da seguradora, em São Paulo. Em 2011, o Projeto reciclou quase 14.000 carteirinhas. A iniciativa visa o descarte adequado e seguro dos cartões de PVC inutilizados, desde os cartões de seguro saúde da própria empresa até os de crédito, bancário, farmacêutico, entre outros, e integra os programas da seguradora voltados a minimizar impactos ambientais e conservar recursos naturais. Além do painel que divulga a marca  para os quatro milhões de usuários/dia do metrô, a coletora pode ser adaptada também para promoção por intermédio de sorteio de brindes e brincadeiras divertidas, via realidade aumentada, ou se tornar um espaço lúdico, fazendo o público girar a manivela com pedaladas, entre outros.