Esta página pode utilizar cookies.

“Se quiseres matar a fome de alguém lhe dê um peixe. Mas, se quiseres que ele nunca mais passe fome, ensine-o a pescar”. Por intermédio deste provérbio chinês, que norteia o Projeto Pescar, 16 alunos da primeira turma do projeto, patrocinada pela Fundação Fritz Müller e Havan, encerraram, na sexta-feira (13/04), em uma cerimônia com muita emoção, o curso “Vendas e Atendimento ao Cliente”. Nos olhos dos jovens a mistura dos sentimentos de alegria, saudades e nervosismo eram nítidos. A jornada de quase um ano de trabalho marcou completamente a vida dos adolescentes. Novos amigos, novos aprendizados, um novo rumo e uma longa carreira pela frente. “Se eu pudesse me inscreveria outra vez e começaria tudo novamente”, disse Douglas Samoel, 16 anos de idade. Segundo o menino, se tivesse que descrever o Projeto Pescar em uma só palavra, seria “atitude”. “Quando a gente realmente gosta de alguma coisa, passa muito rápido, sinto como se o curso tivesse começado ontem”, complementa. A orientadora do Projeto, Elissa Maria Retcheski, enfatizou que os jovens têm uma longa jornada daqui para frente e para que tudo dê certo necessitam de apenas duas coisas: persistência e fé. Persistência para buscar a concretização dos sonhos e fé para que não desistam na primeira pedra que encontrarem no caminho, “que não serão poucas”, declara. Para a diretora executiva da FFM, Janete de Amorim Bachmann, “Esta foi apenas uma das muitas etapas que estão por vir na vida pessoal e profissional dos jovens”. Segundo ela, “A turma superou todas as  expectativas pelo comprometimento, proatividade e alto nível de maturidade dos jovens”, destaca. Alvaci Machado Koch e Ademir Koch, pais da menina Ariela, estavam emocionados com a conclusão de uma etapa tão importante na vida da filha. “Desde que ela ingressou no Projeto, passou a ser mais responsável, levou os estudos realmente a sério e até mesmo as contas de casa decidiu ajudar a administrar”, contam. “O Projeto Pescar, além de ensinar o conteúdo teórico, ajuda os alunos a tornarem-se mais independentes, respeitar o próximo e a mostrar interesse pelo que fazem”, enfatizam. Uma das jovens do Projeto Pescar, Jéssica Mendes Poier, 17 anos de idade, comemora seu primeiro emprego, fruto dos ensinamentos que recebeu ao longo do curso. A menina está trabalhando como atendente de caixa em uma padaria. “Estou conseguindo pôr em prática o que aprendi no Pescar”, conta. Sobre o Projeto, Jéssica destaca que “Mudou tudo em minha vida, não só minha personalidade, como também a relação interpessoal. Estou mais madura e aprendi a ter mais atitude diante das situações”. “É estranho, mas sinto-me muito feliz por estar concluindo o curso com êxito, mas ao mesmo tempo triste, pois sei que não vou ter mais a convivência diária com essas pessoas maravilhosas que transformaram a minha vida”, finaliza.