Esta página pode utilizar cookies.

Aconteceu no dia 25/09, a entrega do Prêmio Pemberton, iniciativa da Coca-Cola Brasil que tem o objetivo de estimular o desenvolvimento de pesquisas científicas com foco no estilo de vida saudável nas universidades e reconhecer o trabalho de pesquisadores de todo o País. O evento de premiação foi realizado durante a abertura do 17º Congresso Brasileiro de Nutrologia, na cidade de São Paulo. Após a análise de cerca de 130 pesquisas acadêmicas recebidas de todo o País, o comitê científico do Prêmio Pemberton, definiu seus ganhadores. [caption id="attachment_331382" align="aligncenter" width="562"] Cerimônia de premiação (Foto: From Textual Comunicação).[/caption] A professora-doutora Maria Andréia Delbin ganhou na categoria de Pesquisa Básica e o doutorando Carlos Henrique Sponton levou o prêmio na categoria Pesquisa Aplicada. Os dois pesquisadores são profissionais de Educação Física da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Rio Claro (SP). Cada pesquisador ganhou R$ 20 mil e suas respectivas universidades receberão R$ 20 mil para investimento em equipamentos e infraestrutura, além de uma viagem para conhecer a sede da Coca-Cola em Atlanta, EUA. As pesquisas classificadas em segundo e terceiro lugares receberam R$ 10 mil e R$ 5 mil, respectivamente, e uma visita ao Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Coca-Cola, no Rio de Janeiro. [caption id="attachment_331383" align="aligncenter" width="562"] Ganhadores do Prêmio Pemberton (Foto: From Textual Comunicação).[/caption] “O objetivo da Coca-Cola com a realização do Prêmio Pemberton é incentivar o desenvolvimento de pesquisas e ao mesmo tempo dar visibilidade ao conhecimento fantástico que está sendo produzido nas universidades brasileiras que podem contribuir para o País se tornar mais saudável”, ressalta Marco Simões, vice-presidente de Comunicação e Sustentabilidade da Coca-Cola Brasil. “Fiquei muito feliz e surpresa de ver uma empresa privada acreditar em nossa pesquisa para o desenvolvimento da sociedade. É uma iniciativa muito importante. A organização do prêmio foi excelente, desde a logística até o alto nível do comitê de avaliação dos trabalhos. Foi muito gratificante participar do Prêmio Pemberton”, elogia Maria Andreia que atualmente é professora do Instituto de Biologia da Unicamp. Para Carlos Henrique, que só decidiu participar após a prorrogação das inscrições “Nós, pesquisadores, fazemos pesquisa com o objetivo de que alguém possa usufruir do nosso conhecimento. E quando temos esse reconhecimento, sentimos que estamos perto de nosso objetivo”, comemora. “A Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) tem seu direcionamento a partir do tripé de saúde, bem estar e estímulo à pesquisa, alinhado à proposta da Coca-Cola. Por isso, vemos com bons olhos esse apoio à classe acadêmica que permite um investimento na produção científica de nossos professores ao estimular pesquisas em prol da saúde”, comenta Durval Ribas Filho, presidente da Abran. O Prêmio Pemberton tem apoio da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (Sban) e Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).