Esta página pode utilizar cookies.

Há alguns anos – precisamente desde 2006, data de fundação do Twitter – a web vive um período de consolidação da instantaneidade. Fofocas e discussões entre pessoas podem ganhar o mundo em poucos minutos. Graças, é claro, aos milhões de computadores, celulares e tablets interconectados. No entanto, a tarefa não é das mais fáceis. Há quem diga que, no microblog, não existe diálogo, relacionamento. Para críticos, o Twitter é um monólogo, construído como um palco – virtual – para surdos. E, segundo estudo da Sysomos, o argumento é plausível. A pesquisa realizada pela consultoria aponta que 71% dos tweets enviados pelos mais de 105 milhões de cadastrados no site não recebem qualquer tipo de resposta ou reação (imagem acima). Em outras palavras, sete em cada dez mensagens enviadas à rede são ignoradas. O Twitter, no entanto, é uma empresa de informação, uma plataforma de mídia. O foco do microblog não é conectar pessoas, como o Facebook propõe. O Twitter é um nicho onde pessoas vão encontrar conteúdo – sem a necessidade de interagir. Para chegar a essa conclusão, a empresa com sede no Canadá analisou 1,2 bilhão de tweets propagados entre agosto e setembro de 2009 para compreender o tipo de conversa que acontecia no microblog. Do total de mensagens coletadas, apenas 6% recebem um retweet – artifício que replica o conteúdo na rede -, e 92% dos retweets acontecem na primeira hora. No entanto, a pesquisa pode confortar alguns brasileiros, que se incomodam pela falta de retweets de suas mensagens. Conforme mostra a ilustração acima, é uma gritaria exasperante.