Esta página pode utilizar cookies.

A cidade de Florianópolis volta a ser palco de um evento internacional de surfe. Entre os dias 27/10 e 05/11, a Praia da Joaquina, que recebeu uma etapa do mundial profissional pela última vez em 2004, sediará o World Junior Championship 2013, o Mundial Júnior, para surfistas até 21 anos de idade. Dezesseis países estarão representados na disputa pelos canecos de campeões mundiais na Capital catarinense, que distribui premiação total de 130 mil dólares nas categorias masculino e feminino. [caption id="attachment_333587" align="aligncenter" width="560"] Caio Ibelli foi o último brasileiro campeão mundial júnior, feito alcançado em 2011 (Foto: Pedro Monteiro/Divulgação).[/caption]

Tradicional palco de etapas do circuito mundial, Santa Catarina ficou de fora do calendário no ano passado. O último evento aconteceu em 2011 na Praia da Vila, em Imbituba, no Sul do Estado, com o fenômeno Gabriel Medina vencendo o SuperSurf Prime. Medina vai participar do evento na 'Joaca' como convidado da organização do evento, e, claro, é um dos favoritos ao título em Florianópolis. A Capital catarinense não sediava um campeonato internacional desde 2010, quando as praias Mole e do Santinho receberam etapas. Já o último WQS na Praia da Joaquina, divisão de acesso à elite, foi em 2002. O Brasil é o recordista de títulos entre os homens, com cinco em quatorze disputas do Mundial Júnior. No feminino, o domínio é da Austrália com cinco vitórias em oito edições. O formato da competição masculina é igual ao do WCT, o antigo formado do circuito mundial profissional, quando as etapas tinham 48 participantes. No feminino o formato é o mesmo utilizado atualmente, com dezoito competidoras. Triagem e Candidatos ao Título O Brasil tem sete surfistas confirmados, incluindo os convidados Gabriel Medina, da organização do evento, e o catarinense Matheus Navarro, da Federação Catarinense de Surf. O número de brasileiros pode aumentar se o País conseguir classificar dois surfistas na triagem programada para o dia 26/10, véspera do início do evento na Joaquina. O campeão e o vice se classificam para o evento principal. Na categoria feminina, nenhuma brasileira se classificou na seletiva da América do Sul. No entanto, o Brasil terá duas surfistas como convidadas dos organizadores do mundial. Uma é a catarinense Marina Rezende, indicada pela federação catarinense – a outra ainda será anunciada. Dois brasileiros que atualmente fazem parte do seleto grupo dos top 34 da elite são fortes candidatos ao título mundial em Florianópolis: Filipe Toledo e Gabriel Medina, assim como o catarinense Luan Wood, atual campeão sul-americano júnior, surfista local da Joaquina. [caption id="attachment_333588" align="aligncenter" width="560"] Luan Wood, Marina Resende e Matheus Navarro: catarinenses marcam presença (Foto: Petra Mafalda/PMF).[/caption]

Medina e Filipe são os únicos integrantes da divisão de elite inscritos no evento, o que aumenta as chances do Brasil aumentar o recorde de cinco títulos. Pablo Paulino venceu em 2004 e 2007, Adriano de Souza em 2003, Pedro Henrique em 2000, e Caio Ibeli, o último, em 2011. Fonte: Globoesporte.com.