Esta página pode utilizar cookies.

Governo do Rio quer R$ 7 mi para privatizar Maracanã

O Governo do Estado do Rio de Janeiro publicou no Diário oficial de ontem (22/10) a convocação para a abertura da concessão do Complexo do Maracanã. A empresa que ganhar, dentre as interessadas em tomarem conta do estádio, terá que pagar sete milhões de reais ao Governo por ano. Em comunicado divulgado pela assessoria de imprensa da secretaria do Estado da Casa Civil do Rio de Janeiro, além do montante, quem assumir a administração do Maracanã terá o controle por 35 anos a partir de 2013, e desembolsará cerca de R$ 469 milhões nas obras de adequação. O Governo se responsabiliza por entregar a Arena já em condições multiuso e a empresa se tornará responsável por “uma série de intervenções, como a modernização do Maracanãzinho, a construção e a operação do Museu do Futebol, a instalação e a operação de estacionamentos, além da criação de uma área com bares, restaurantes e lojas, incluindo a infraestrutura de iluminação, pavimentação e drenagem”. Tais mudanças devem começar após a Copa das Confederações no ano que vem. Até a Copa do Mundo deverão ser entregues os estacionamentos e praças e novos centros de treinamentos. Na Copa, em 14, e nas Olimpíadas do Rio, em 16, o complexo do Maracanã será de uso exclusivo destes eventos. O Maracanã não poderá ter seu nome alterado, como muitas empresas que constroem os complexos esportivos hoje em dia fazem, e também não será permitida a participação de nenhum clube de futebol na aquisição do controle do estádio. Assim, o estádio mais famoso do mundo pode ser usado por qualquer time do Rio de Janeiro, times de outros Estados e também pela Seleção Brasileira.