Esta página pode utilizar cookies.
Warning (2): getimagesize(/wp-content/uploads/2014/05/google1.jpg): failed to open stream: No such file or directory [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 44]
Notice (8): Trying to access array offset on value of type bool [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]
Warning (2): Division by zero [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]
Notice (8): Trying to access array offset on value of type bool [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]

O Google superou a Apple como a marca mais valiosa do mundo, de acordo com as métricas do ranking BrandZ. De acordo com a nona edição do estudo produzido pela Millward Brown, sob a chancela do grupo WPP, o gigante da internet teve sua marca avaliada em US$ 159 bilhões, uma valorização de 40% em relação ao ano passado. Já a companhia liderada por Tim Cook viu o valor de sua marca cair para US$ 148 bilhões, recuo de 20% em relação ao período anterior – o que custou o posto de número 1, em poder da empresa há três anos. O ranking BrandZ mede o valor de marca com base na performance de negócios e em entrevistas feitas com mais de dois milhões de consumidores no mundo todo. “Google foi incrivelmente inovador nesse último ano, com o Google Glass, investimentos em inteligência artificial e múltiplas parcerias por meio das quais o Android passou a ser o sistema operacional de outros tipos de produtos, até mesmo carros”, afirma Nick Cooper, diretor geral da MIllward Brown Optimor. Microsoft (4º), Visa (7º) e Amazon (10º) foram outros destaques na edição 2014 do BrandZ, com crescimento na casa dos dois dígitos. Ainda que não tenham conseguido um lugar entre os Top 10, Facebook, Samsung e Yahoo também registraram evoluções significativas. A marca do Facebook valorizou 68%, estimada em US$ 35,7 bilhões. A Samsung, por sua vez, teve a marca avaliada em US$ 25,9 bilhões, alta de 21%. O Yahoo chegou aos US$ 14,2 bilhões em valor de marca, 44% a mais do que no ano passado. O Twitter e o LinkedIn entraram pela primeira vez no Top 100 do ranking, ocupando a 71ª e 78ª posições, respectivamente.