Esta página pode utilizar cookies.

O Rock in Rio desse ano terminou, mas as ações de marketing promocional vão ficar na memória. Ainda mais quando se podem ter as lembranças ali, sempre por perto, por meio de fotos. Os festeiros puderam ter seus cliques impressos por meio da Fotocabine, que promoveu ações de live marketing para as marcas Volkswagen, Lojas Americanas, Submarino, Ipanema, Delta e Prefeitura do Rio. [caption id="attachment_327974" align="aligncenter" width="580"] As redes sociais foram muito usadas nas ações de ativação de marcas (Foto: Renato Galvão).[/caption] Além do Printgram, que imprimiu na hora fotos postadas no aplicativo Instagram, para cada marca foi pensada uma ação diferente, como animações e brindes personalizados feitos com as fotos que foram direto para as redes sociais, até um mosaico livre com cliques de toda a Cidade do Rock. Com o mercado aquecido, o faturamento da Fotocabine, que na última edição bateu os R$ 20 mil, dessa vez, chegou aos R$ 180 mil. [caption id="attachment_327976" align="aligncenter" width="580"] Bruno Bezerra, proprietário da Fotocabine (Foto:Renato Galvão).[/caption] Bruno Bezerra, proprietário da Fotocabine, concedeu uma entrevista exclusiva ao Portal Promoview, falando um pouco mais das ações que foram feitas. Promoview: As agências procuram muito os serviços da Fotocabine? Em que tipo de evento? Bruno Bezerra: Sim, somos muito procurados, sobretudo em eventos de moda e em festivais de música. Fizemos o Lollapalloza, Planeta Terra, NoCapricho, Sonar, e o último Rock In Rio. No Carnaval de Salvador deste ano, tivemos sete Fotocabines em camarotes para Ambev e Devassa. Promoview:  Como as ações da Fotocabine são pensadas para cada empresa? Por exemplo, o público da Sandália Ipanema é diferente do público da Volkswagen. Bruno Bezerra: Nosso carro-chefe é a Fotocabine, em que as pessoas entram, fazem uma sequência de fotos e ganham a foto impressa na hora. Fomos a primeira empresa a trazer este conceito para o Brasil. O outro produto é o Printgram, sistema que nós desenvolvemos desde o conceito, que imprime na hora as fotos do Instagram. Quando foi lançado, em março de 2012, não encontramos nem no Exterior quem entregasse uma ação nos nossos moldes. Mas temos várias soluções de fotografia, impressão instantânea e interação com mídias sociais. [caption id="attachment_328002" align="aligncenter" width="580"] Ipanema ativou a marca com live marketing (Foto: Renato Galvão).[/caption] [caption id="attachment_328005" align="aligncenter" width="580"] As pessoas podiam postar na hora as suas fotos nas redes sociais (Foto: Renato Galvão).[/caption] [caption id="attachment_328006" align="aligncenter" width="580"] Na ação promocional, muito sorriso para sair bem na foto (Foto: Renato Galvão).[/caption] O público destas duas marcas é diferente, mas no festival, há um ponto em comum entre todos: a vontade de guardar a lembrança daquele dia, daquele show. O Printgram aposta em dar a oportunidade de o convidado imprimir a foto que ele mesmo tirou, por isso pensamos que é ainda maior a vontade que ele tem de guardar aquela foto. Já o cliente ganha não só no brinde original, mas na quantidade de pessoas que postam fotos no Rock in Rio com uma hashtag que associa a marca do cliente a este momento único de diversão. [caption id="attachment_328007" align="aligncenter" width="580"] A Volkswagen também usou as fotos como ativação de marca (Foto: Renato Galvão).[/caption]

No estande da Volkswagen, a Infoview instalou uma enorme TV da Sharp, de 90 polegadas, onde desenvolveu um mosaico que passava as fotos postadas em tempo real.

[caption id="attachment_328010" align="aligncenter" width="580"] Ação promocional da Volkswagen (Foto: Renato Galvão).[/caption] [caption id="attachment_328011" align="aligncenter" width="580"] Bruno Bezerra também fez questão de registrar o seu momento no estande da VW (Foto: Renato Galvão).[/caption] Já na Ipanema, promotores circularam na RockStreet com iPads para que as pessoas pudessem postar as fotos no Instagram, já que alguns convidados preferiram deixar o celular em casa. Promoview:  Como são as reações do público impactado pelas ações da Fotocabine no Rock in Rio? Bruno Bezerra: No Printgram, muitas pessoas perguntavam: é de verdade? Isto porque o convidado não precisava adicionar nenhum perfil, instalar nenhum app. Bastava postar com a hashtag e em menos de um minuto a foto era curtida e recebia um comentário, avisando que a foto impressa já podia ser buscada. As fotos eram impressas com um layout especial do cliente para o Rock In Rio. [caption id="attachment_328012" align="aligncenter" width="580"] O stop motion agitou a galera (Foto: Renato Galvão).[/caption] A ação que desenvolvemos para o Submarino foi a que gerou mais comentários positivos. Com uma câmera que dá vários clicks em sequência, o convidado fez um minifilme em stopmotion, uma técnica de animação. [caption id="attachment_328018" align="aligncenter" width="580"] Os participantes da ação promocional caprichavam nas poses (Foto: Renato Galvão).[/caption] O arquivo virava um GIF que subia para o Facebook do convidado na hora. Cada um fez uma brincadeira diferente, então o resultado tem sido bem divertido. Promoview: Vimos que na última edição do festival a Fotocabine faturou R$ 20 mil, e, dessa vez, chega aos R$ 180 mil. O que proporcionou essa mudança? Bruno Bezerra: A diferença foi basicamente na duração e complexidade das ações. No último Rock In Rio as ações eram basicamente de foto com impressão na hora. [caption id="attachment_327979" align="aligncenter" width="580"] A Delta também aproveitou a febre das redes sociais para sua ativação (Foto: Renato Galvão).[/caption] Desta vez, as ações foram mais criativas. Na Delta Airlines não tivemos apenas uma Fotocabine. Lá, a máquina tinha um fundo chromakey e o convidado escolhia um destino operado pela companhia como fundo da foto. [caption id="attachment_327981" align="aligncenter" width="580"] Além da foto, a Delta ainda deu de brinde uma bagagem personalizada (Foto: Renato Galvão).[/caption] Ao sair da Fotocabine ele ganhava um tag de mala com sua foto no destino escolhido e podia prendê-la na mochila, por exemplo. Por Cássia Tavares.