Esta página pode utilizar cookies.

O abismo entre o povo e o estádio de futebol é cada vez maior.

O aumento no preço dos ingressos das partidas dos principais clubes do País acarretou de fato em um processo de elitização da torcida, algo que só intensifica com o fato de boa parte desses times jogarem em estádios construídos ou reformulados para a Copa do Mundo de 2014 – o quê, por sua vez, tornou suas instalações mais modernas, e, consequentemente, encareceu os ingressos.

Diante disso, clubes conhecidos pela identificação com o povo, como Atlético-MG, Corinthians e Flamengo, aos poucos foram se distanciando das camadas mais pobres da sociedade. Isso acarreta, inevitavelmente, numa mudança no perfil dos novos torcedores.



Visando preservar sua tradição de clube popular e trazer de volta o povo para os estádios, o Flamengo já havia decidido baixar o preço médio de seus ingressos, algo que resultou num enorme crescimento na média de público. O clube, porém, deu um passo além e lançou um projeto que visa levar alunos da rede pública para os estádios chamado Futuro da Nação.

O projeto consiste em selecionar alunos de comunidades de baixa renda ou da rede pública que tiveram bom desempenho no ano letivo e levá-las a um jogo do time.

O Futuro da Nação foi iniciado em abril, quando o clube levou 50 jovens e familiares para um jogo contra o América-MG, no Maracanã. Só agora, porém, o clube divulgou o resultado da ação em seu canal oficial no YouTube, a FlaTV.

No vídeo, Fábio Justino, torcedor do clube, e Daniel Orlean, vice-presidente de Marketing, falam sobre o objetivo, que é ajudar a conscientizar as crianças sobre a importância de dedicar-se aos estudos. As crianças selecionadas para a edição do projeto mostrada no vídeo foram a uma partida, conheceram o gramado do Maracanã, visitaram o vestiário do estádio e assistiram ao jogo de um camarote do clube.

O projeto tem como objetivo auxiliar na redução da evasão escolar e melhorar o desempenho no ensino, aliando entretenimento e paixão, levando centenas de estudantes da rede estadual do subúrbio e das comunidades do Rio de Janeiro a uma experiência marcante.