Esta página pode utilizar cookies.

Com a apresentação mágica no Carnaval, a comissão de frente da Unidos da Tijuca Eventos corporativos conquistou um nicho no mercado do entretenimento que até então era dominado pelas baterias de escola de samba. Os bailarinos ilusionistas são agora atração cobiçada em e esportivos, shows em cabarés e até festas de casamento. Anfitriões ávidos por deixar os convidados de boca aberta gastam no mínimo R$ 10 mil para tirar esse "coelho da cartola".

[caption id="attachment_48276" align="aligncenter" width="560" caption="A comissão de frente da Unidos da Tijuca é atração em diversos eventos."][/caption] Na próxima segunda-feira (08/03), o grupo vai se apresentar para mais de dez mil pessoas no Maracanãzinho, na abertura da Olimpíada do Conhecimento, evento bienal promovido pelo Senai. Outra exibição que está em negociação é nos intervalos dos jogos da Confederação Brasileira de Vôlei. Segundo o coreógrafo da ala nota 10, Rodrigo Néri, algumas adaptações são necessárias, mas a equipe está preparada para as novas demandas.

"Os bailarinos estão fazendo o número de olhos fechados. Mas a gente tem que se adaptar ao lugar da apresentação, para não estragar a surpresa. Em uma premiação, no domingo (28/02), não fizemos o truque dos tecidos porque o público ficava muito perto de nós e aumentamos de dois para três quilos a quantidade de papel picado usado para confundir as pessoas. É uma felicidade enorme as pessoas vibrarem a cada surpresa", comemora.

Segundo o setor de marketing da Unidos da Tijuca, dois casais negociam o 'número' campeão para oferecer como surpresa aos convidados em cerimônias de casamento. E em Paris, a casa de shows francesa Lido também quer 'tirar da manga' os bailarinos da Tijuca.

O presidente da escola, Fernando Horta, explica que o local do evento precisa ter palco com fundo. A apresentação com todos os bailarinos não sai por menos de R$ 30 mil. A mais simples, com só parte da equipe, sai por pelo menos R$ 10 mil. "O valor também depende do tamanho do público, do local e da duração", diz. Fonte: O DIA.