Esta página pode utilizar cookies.
Warning (2): getimagesize(/wp-content/uploads/2013/04/Meucopo-Eco.jpg): failed to open stream: No such file or directory [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 44]
Notice (8): Trying to access array offset on value of type bool [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]
Warning (2): Division by zero [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]
Notice (8): Trying to access array offset on value of type bool [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]

Alternativa bem vinda em grandes exibições, o copo ecológico vem aparecendo nas festas da região gaúcha como uma alternativa simpática, rentável e que não gera lixo. Ao trocar o tradicional copo descartável por um copo verde ganha-se um produto inquebrável, não poluente, isolante térmico, reutilizável e que pode ser guardado como recordação. Adotar a iniciativa do Meucopo Eco é, além de tudo, demonstrar a preocupação com a sustentabilidade do planeta. O sistema funciona pelo modo caução. O público adquire o copo pelo valor de R$ 3,00 e ao final do evento pode devolver, recebendo seu dinheiro de volta ou, então, levá-lo para casa. De acordo com o representante do Meucopo Eco em Pelotas, Lucas Maraschin, cerca de 70% dos copos não são devolvidos. “As pessoas preferem ficar com o copo. Algumas voltam e pedem mais para levar para casa”, conta. Um dos motivos que contribuem para a aquisição é o design alusivo à preservação do meio ambiente. São copos de 400 mililitros feitos de polipropileno (PP), material que mantém seu aspecto original, sem quebrar ou arranhar. Segundo Maraschin, o seu produto é um copo mais ecológico que os biodegradáveis ou de papel reciclado, cuja vida útil é menor. Natural de Florianópolis (SC), a empresa Meucopo Eco foi fundada em julho de 2011. A partir dessa data, a ideia vem se espalhando pelo País. No primeiro ano, atingiram a marca de 130 mil copos comercializados entre os 14 Estados brasileiros em que está presente. Desde novembro do ano passado, Pelotas e demais cidades gaúchas passaram a contar com uma representação da empresa, gerenciada por Maraschin e seu sócio, Murilo Assis.