Esta página pode utilizar cookies.

A Copa do Mundo de 2014 acabou não produzindo um efeito significativo para o receptivo em Curitiba. Mostra disso é que o mercado hoteleiro apresentou desempenho modesto no ano passado, com crescimento de apenas 0,8% no número de hospedagens em comparação a 2013. No final, o que contribuiu mais para a cidade foi a sua vocação como cidade sede de congressos e simpósios. Em 2014 foram 273 eventos na Capital, número que deve ser superado neste ano, quando há previsão de pelo menos 300.

Foto: Franklin de Freitas.
[caption id="attachment_468809" align="aligncenter" width="562"] Congressos atraem milhares de visitantes para Curitiba.[/caption] Esse montante de congressos deve atrair cerca de 350 mil visitantes ao longo do ano, segundo estimativa do Curitiba, Região e Litoral Convention & Visitors Bureau (CCVB). Muitos destes seminários estão entre os maiores do País, como o Congresso Brasileiro de Cardiologia, terceiro maior evento médico do mundo e que tem a previsão de atrair dez mil visitantes e movimentar RS 11 milhões. O encontro acontece de 18 a 21 de setembro, no Expotrade Pinhais. O que atrai tantos eventos de nível nacional e internacional a Curitiba é a sua estrutura. A Capital do Paraná tem 42 mil m² de espaço para conferências, com capacidade máxima de sete mil participantes e uma rede de hotelaria com mais de 18 mil leitos. E se os eventos médicos acontecem periodicamente na cidade — até porque Curitiba é referência em várias áreas médicas e possui reconhecida rede médico-hospitalar — outras áreas também veem Curitiba como um bom local de encontros. “As áreas industrial, comercial, de serviço, de vendas, ambiental e de educação crescem a cada ano.”, diz a diretora-executiva da CCVB, Tatiana Turra. Um exemplo foi a feira da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados (Abad), em 2014. Em quatro dias a feira de negócios registrou cerca de 20 mil visitações, quatro mil hospedagens em hotéis curitibanos e a contratação de 1.500 profissionais de mão de obra local.